debate-sbt-2O candidato a prefeito de Palmas Raul Filho (PR), pela coligação “Coragem Pra Fazer Diferente”, pressionou Carlos Amastha (PSB), durante debate do SBT, nesta sexta-feira, 23, sobre seu envolvimento na Operação Moeda Verde, investigação da Polícia Federal sobre esquema de facilitação de licenças ambientais em Florianópolis-SC. Raul também questionou o atual prefeito sobre o pedido de suspensão pelo Ministério Público Estadual (MPE) do contrato com a empresa de coleta de lixo Terra Clean, em função de irregularidades. Além dos contratos de locação de tendas, máquinas e painéis eletrônicos, todos investigados pelo MPE.

Logo no início do primeiro bloco, o candidato Amastha iniciou as provocações e disparou contra o ex-prefeito Raul Filho e a vice-governadora Cláudia Lelis. Raul respondeu destacando seus oito anos à frente da prefeitura e sua jornada como deputado constituinte do Estado. “Não tenho nenhuma condenação por corrupção administrativa. Vamos tomar cuidado com os novos políticos, é uma eloquência com o discurso que veio para moralizar, na realidade, essas atitudes pode ser a verdadeira e velha pratica da fraude”, alertou Raul.

Alagamento

No segundo bloco, a vice-governadora Cláudia Lelis levantou o assunto da drenagem em Palmas. Ela lembrou a chuva desta quinta-feira, 22, deixando as avenidas da cidade alagada. A discussão girou em torno do programa eleitoral de Carlos Amastha, ao afirmar para o eleitor que, o problema foi solucionado.

Aumento de impostos

Raul Filho convidou todos os candidatos para união na luta em prol da redução no aumento de taxas e impostos. “É preciso que o atual prefeito pare de extorquir a população palmense, com seus impostos aprovados na calada da noite, com o único fim de arrecadação”, questionou.

No terceiro bloco, Raul Filho dirigindo pergunta a Amastha, cobrou do atual prefeito uma gestão de transparência no município. “Falta de licitação pode tornar um sério problema para ações de improbidade administrativa”, aconselhou.

Estacionamento Rotativo

Raul Filho explicou que o projeto do estacionamento foi criado em seu governo, mas, com proposito de atender a filantropia, tempo de tolerância e tarifa social. “Para nossa surpresa, esse contrato foi generoso com a Blue, a empresa fica com 93% e a prefeitura apenas com 7%. Hoje, em pleno período eleitoral não está sendo cobrado a tarifa, está suspenso. Vamos romper o contrato e fazer uma auditoria”, garantiu.

O quarto bloco foi marcado pela insistência do candidato Zé Roberto (PT) questionando Carlos Amastha sobre obras de sua autoria, planejadas e executada para o legado de seu governo. Amastha se esquivou para responder e no final citou apenas o asfalto da quadra 405N. Já na tréplica, Zé Roberto pediu para Amastha, comportamento e respeito, desaprovando as artimanhas do atual prefeito em provocar os outros candidatos.

Unidades de Saúde

Raul e Amastha ainda entraram em um embate sobre a construção das Unidades de Saúde “Tiramos os postos de saúde das casinhas e colocamos em sedes próprias. Deixamos algumas para ele [Amastha] inaugurar e ainda demorou dois anos e meio para entregar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA Norte)”, questionou Raul.

“Ainda bem que a sociedade já conhece o comportamento dele [Amastha], trata as coisas com cinismo. Palmas que ele diz ser bem cuidada é só no centro, os distantes, estão vivendo uma outra realidade” concluiu Raul.

Walquerley Ribeiro
Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.