O Ministério Público Estadual (MPE) ofereceu denúncia contra Gilvan Pereira da Silva e Ivanclenyo Sá de Araújo pelo assalto a um estabelecimento comercial no centro de Araguaína, no dia 26 de agosto. De acordo com o inquérito policial, os dois realizaram assalto a mão armada e fizeram 13 pessoas de reféns no interior da loja. A intervenção da Polícia Militar resultou na prisão dos acusados.

O Promotor de Justiça Leonardo Gouveia Olhe Blanck, autor da denúncia, requer que Gilvan e Ivanclenyo sejam condenados pelos crimes previstos nos artigos 157 (roubo praticado em concurso de pessoas, mediante uso de arma de fogo e com restrição à liberdade das vítimas) e 70 (no caso de dois ou mais crimes, idênticos ou não, aplica-se-lhe a mais grave das penas) do Código Penal Brasileiro. As penas podem chegar a 10 anos de reclusão, para cada réu.

De acordo com as investigações, os clientes do estabelecimento comercial foram surpreendidos por dois homens que adentraram a loja com armas em punho anunciando o assalto. Eles renderam as vítimas e as levaram para o refeitório, onde foram forçadas a entregar celulares, relógios e outros bens.

Na sequência os reféns foram levados para o setor de estoque. Uma das vítimas conseguiu acionar a Polícia Militar, que rapidamente compareceu e cercou o local. Gilvan e Ivanclenyo tentaram fugir pelo telhado, mas foram capturados pela força policial. Um terceiro indivíduo que dava apoio aos criminosos conseguiu fugir no momento da chegada Polícia Militar no local.

Com os acusados foram recuperadas duas armas, celulares e cerca de R$ 600 em dinheiro.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.