Marcelo Lélis (PV)
Marcelo Lélis (PV)

Em entrevista a um jornal do estado do Tocantins, Marcelo Lélis(PV) confirma candidatura a prefeito de Palmas e afirma que estará elegível. Confira a íntegra da entrevista:

Primeira Página: O senhor já anunciou sua intenção de se candidatar à Prefeitura de Palmas. Como pretende viabilizar isso, considerando sua atual inelegibilidade?

Marcelo Lélis: Não tenho dúvidas que no momento da minha candidatura ou bem antes disso, estarei elegível.

Primeira Página: Por que se candidatar novamente à Prefeitura de Palmas? a que fatores o senhor atribui sua derrota para o candidato Carlos Amastha, eleito prefeito em 2012?

Marcelo Lélis: Pagamos uma conta que não era nossa, as pessoas votaram contra um sistema político, não contra nosso projeto, mas entendemos o recado das urnas, e logo após as eleições tomamos a decisão de seguir nosso caminho. Hoje, olhando para trás considero que tinha que passar por tudo isso, vamos essa para disputa completamente livres e preparados para apresentar um projeto concreto para nossa cidade.

Primeira Página:  Que análise o senhor faz da gestão do prefeito Amastha? ele foi eleito afirmando que era o “novo”….o “novo” de fato aconteceu? ou as velhas práticas permanecem?

Marcelo Lélis: Prefiro não acusá-lo ou rotulá-lo, estou andando pela cidade, conversando com as pessoas e apenas afirmo que há uma reflexão geral dos palmenses. A melhor análise de um gestor é aquela feita pelo povo, eu diria que minha opinião é sempre contaminada, pois sou parte diretamente interessada no processo, as pessoas é que estão observando a falta de respeito com vários seguimentos da nossa sociedade, exemplos: comerciantes da JK, Igrejas, proprietários de vans, ambulantes, feirantes, professores, funcionários públicos, contribuintes. O marketing e a comunicação são ferramentas importantes de uma gestão, mas precisam ter embasamento em ações concretas, caso contrário, terão prazo de validade e o prazo da Prefeitura de Palmas já expirou.

Primeira Página: O prefeito Amastha é conhecido nas redes sociais como “Amastaxa”. Um apelido pejorativo relacionado à política tributária praticada hoje na Prefeitura. Como o senhor vê essa questão?

Marcelo Lélis:  É claro que os impostos e taxas são vitais em qualquer gestão e devem ser corrigidos e atualizados, mas não se pode fazer isso de uma única vez e com a voracidade que a atual gestão fez, a arrecadação triplicou e com isso, quase R$ 100 milhões entraram nos cofres da Prefeitura nessa gestão. Deixo o questionamento, aonde foi parar todo esse dinheiro?

Primeira Página: Quais são suas propostas para a Capital?

Marcelo Lélis:  Uma cidade é dinâmica, a necessidade de ontem não é a mesma de hoje, começaremos a partir da próxima semana a ouvir as pessoas em pequenas reuniões que faremos em todos os setores de Palmas e preparemos um plano  para nossa cidade construído à muitas mãos, ele trará as necessidades especificas de cada quadra e cada bairro da Capital.

Primeira Página:  O senhor, na condição de presidente do PV, tem percorrido o Estado nos últimos meses. Como está este trabalho. O PV pretende colocar candidatos a prefeito em todos os municípios? como o partido está se organizando?

Marcelo Lélis: Estou apaixonado e motivado como nunca, com as construção de um partido  forte, o PV se estadualizou a partir da pré-campanha para governador e da campanha  passada onde o partido participou da chapa capitaniada pelo governador Marcelo Miranda, ocupando a Vice-Governadoria. Então a partir de janeiro percorremos novamente todo o Tocantins estruturando o partido para eleições de 2016, já temos mais de 50 pré-candidatos a prefeito e afirmo a vocês que entre 10 e 15 deles serão eleitos, faremos uma quantidade grande de vice-prefeitos e triplicaremos a nossa bancada de vereadores, digo isso com os pés no chão, considerando todo o trabalho que estamos fazendo.

Primeira Página: Na eleição passada, sua esposa, a vice-governadora Claudia Lelis, acabou assumindo o seu cargo depois dos impedimentos legais à sua candidatura. Como está a relação do PV com o governo tendo em vista que a vice-governadora é do partido? e que análise o senhor faz destes nove meses de governo?

Marcelo Lélis: A vice-governadora Cláudia Lelis tem surpreendido muito as pessoas, pelo que sinto, vejo e escuto de forma muito positiva, quando o partido tomou a decisão de indicá-la para me substituir, fizemos de maneira muito tranquila e consciente, porque  por vários anos observamos o seu trabalho, a sua inteligência, capacidade de comunicação, capacidade de articulação, sua agilidade e eficiência. Cláudia é uma excelente executiva, o governador tem confiando muito nela, tem delegado a ela missões muito importantes, a relação do partido com o Governo é excelente, somo gratos pela confiança. Os primeiros meses de governo foram muito difíceis, uma mistura de política de terra arrasada praticada pela gestão anterior com a crise econômica nacional, mas apesar disso, temos absoluta confiança no Governo e no governador, temos certeza que dias melhores virão.

Trajetória

Marcelo Lelis, presidente regional do PV. Natural de Inhumas (GO),  Lelis, 45 anos,  é filho de Ailton Lelis e Marialda Lelis. Em 2004, foi eleito vereador de Palmas pelo Partido Verde (PV). Em 2006, foi eleito deputado estadual, com 11.587 votos, sendo à época, o mais votado de Palmas. Dentre suas conquistas como parlamentar, Marcelo destaca a redução das mensalidades dos alunos da Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), o aumento de 25% para os servidores do Estado e o Projeto de Lei da Ficha Limpa, de sua autoria, aprovado pela Assembleia Legislativa e já sancionado pelo Governo do Estado.

Na Assembleia, Lelis também atuou como líder de bloco de oposição e membro efetivo das comissões de Desenvolvimento Sustentável, Administração, Trabalho, Defesa do Consumidor, Transportes, Desenvolvimento Urbano e Serviço Público, da de Finanças, Tributação, Fiscalização e Controle. Presidiu também a Comissão de Saúde, Meio Ambiente e Turismo da Assembleia Legislativa. Em outubro de 2010, reelegeu-se para o segundo mandato de deputado estadual com 24.556 votos, sendo o terceiro mais bem votado no Estado. Em 2012, Marcelo pleiteou a Prefeitura de Palmas e perdeu a eleição para Carlos Amastha, atual prefeito da Capital.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.