Os onze tocantinenses candidatos a uma vaga de jovem embaixador foram recepcionados na sede da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), em Palmas, na manhã desta quinta-feira, 17. À tarde, eles devem realizar prova oral, em inglês, que permitirá a seleção de 4 alunos para a fase final da Embaixada Americana, em Brasília.

Vindos de Araguaína, Gurupi, Paraíso e Palmas, os candidatos fizeram breves apresentações, falaram de trabalhos sociais desenvolvidos em suas cidades, participaram de atividades de interação/integração e assistiram a um vídeo motivacional.

Na oportunidade, o secretário de Estado da Educação, professor Adão Francisco, ressaltou a satisfação em receber os candidatos. Iniciativa, firmeza e sabedora são premissas para a transformação do Tocantins, segundo o secretário. De acordo com ele, para que a mudança do Estado aconteça é essencial que ela passe pela educação. “E vocês [os candidatos] são agentes essenciais para que ela aconteça. Dediquem-se o máximo possível. Estamos orgulhosos, pois todos vocês já são vencedores. Não temos dúvidas de que teremos o nosso Estado muito bem representado”, disse o secretário.

Dos quatro selecionados, um será o jovem embaixador e os outros três participarão do EnglishImmersion U.S.A, um programa realizado pela Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, em resposta ao crescente número de candidatos ao programa Jovens Embaixadores, conforme explicou a coordenadora do Programa no Estado, Márcia Ribeiro. “Mas só de estarem aqui e terem passado por uma grande concorrência, todos já são vencedores”, afirmou.

Isabella Bruno participou do EnglishImmersion U.S.A. em 2014. Durante recepção dos alunos, ela motivou-os e tentou tranquiliza-los para a prova oral. À época, Isabella estudava no Instituto Federal do Tocantins (IFTO). Ela contou que não via os candidatos como concorrentes e sempre buscava motivá-los a participar do programa. “Sempre incentivei a permanecer nesse caminho, pois é um programa que abre muito as portas para um estudante e nos motiva a acreditar na nossa capacidade”, ressaltou.

Para Isabella, o apoio da Seduc foi essencial para o seu crescimento. “Foi incrível o apoio que recebi por parte da secretaria. Sou muito grata, pois isso me abriu portas, tive muitas oportunidades”, contou.

Keila Vitória Alves Pereira, 15, veio de Araguaína, do Colégio Pré-Universitário, tentar a vaga de Jovem Embaixador. Para ela, tentar manter a tranquilidade é essencial na hora da realização da prova escrita. “Tento não ficar muito nervosa. Estudei bastante para a prova escrita, estou confiante, mas já me sinto vitoriosa por chegar até aqui”, afirmou.

Após selecionados, os jovens embaixadores passam por uma semana de treinamento pre-departure (pré-decolagem). Em seguida, partem rumo à Washington, nos Estados Unidos da América (EUA). Lá, eles visitam a capital do país, seus principais monumentos, participam de reuniões em organizações dos setores público e privado, visitam escolas e projetos sociais. Depois dessa primeira etapa, os jovens são divididos em subgrupos e cada um viaja para um estado diferente, nos EUA, onde serão hospedados por uma família americana, assistem aulas e interagem com jovens da sua idade, participam de atividades culturais, entre outras.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.