Devolver Palmas para os palmenses. Esta foi a frase mais usada por aliados do presidente metropolitano do Partido da República, Raul Filho, durante a convenção realizada na noite desta sexta-feira, 5, em frente à Assembleia Legislativa, que homologou o nome do republicano à prefeitura da capital, tendo como vice o vereador João Campos (PSC).

O mote do que deverá ser a campanha de Raul Filho foi dado pelo ex-governador Siqueira Campos, que foi recebido no evento com muitos aplausos, sob o som da tradicional canção Flor de Girassol. “Não queremos mais [na prefeitura] um homem que mete a mão no bolso do povo, tornando cada vez mais difícil a vida da nossa gente”, disparou o líder político, ao declarar apoio ao republicano.

Para Siqueira, Raul Filho é o melhor candidato a prefeito da capital, por conhecer a realidade da população, sobretudo a dos mais humildes, ao contrário do atual gestor. “Palmas não pode ficar nas mãos de quem não ama nem o povo nem a cidade”, concluiu.

O discurso mais contundente, porém, foi o da senadora Kátia Abreu (PMDB). Para a ex-ministra da Agricultura, o povo não suporta mais a carga tributária praticada na capital. “O auto custo de vida em Palmas não é culpa dos empresários. Ela é decorrente dos impostos, pois temos uma das cargas tributárias mais altas do país”.

Ao defender a candidatura de Raul, a peemedebista disse que ele respeita a inteligência dos palmenses, ao contrário “do outro”, que se sente mais inteligente que todo o mundo. “Aqui não tem bobo, o povo de Palmas é inteligente, ao contrário do que ele pensa”, criticou.

Surpresa – Foi a presença da até então pré-candidata a prefeita, deputada estadual Luana Ribeiro (PDT), que anunciou apoio à candidatura de Raul Filho. Em seu discurso, a pedetista afirmou que lutará com todas as forças para que Palmas seja devolvida aos palmenses. “Aprendi com meu pai [o senador João Ribeiro] que a gente não deve fazer as coisas pela metade. Por isso, Raul, e venho de corpo e alma”.

Governo justo – Em seu discurso, Raul Filho defendeu um “governo justo” para a capital tocantinense. Porém, ao contrário da maioria de seus aliados, o republicano evitou críticas diretas à atual gestão. Mas garantiu que, chegando ao Paço Municipal, “a cidade será governada do térreo, no antigo prédio da prefeitura, não do oitavo andar”, como acontece atualmente.
Em síntese, o candidato defendeu a necessidade de humanizar a gestão pública da capital, já que as cidades existem por causa das pessoas, e não o contrário.
Elegível – Em relação ao imbróglio jurídico envolvendo seu nome, Raul tranquilizou os convencionais. “Isso é fato, mas eu confio na Justiça. Não serei penalizado por um crime que não cometi, vamos sair vitoriosos. Prova disso são os líderes políticos presentes neste palanque”.
Presentes – Além das autoridades já citadas, marcaram presença na convenção o senador Vicentinho Alves (PR), os deputados federais Carlos Gaguim (PTN), Professora Dorinha (DEM), Irajá Abreu (PSD) e Vicentinho Junior (PR); o presidente do PSC e da Assembleia Legislativa, Osires Damaso; o ex-deputado federal e presidente regional do PDT, Angelo Agnolim, o presidente estadual do PPL, Abraão Lima; do PTdoB, Bruno Gaguim; o prefeito de Porto Nacional, Otoniel Andrade (PR); o comunicador Marcão Poggio, a ex-vice-prefeita Mariza Sales, o ex-governador Raimundo Boi, ex-vereadora Warner Pires, entre outros líderes políticos.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.