Àrvore e corda utilizada pela vítima no enforcamento
Àrvore e corda utilizada pela vítima no enforcamento

Na noite desta segunda-feira (25), um pedreiro identificado como Flaudizon Gonçalves Lima, 35 anos, tirou a própria vida ao se enforcar com uma corda que estava amarrada nas galhas de uma mangueira, no quintal da residência dele, localizada na rua Ceará, bairro São Pedro, Augustinópolis.

Segundo familiares, Flaudizon trabalhou o dia todo em uma obra, chegando em casa por volta das 17h30min. Ele conversava normalmente com a esposa, inclusive planejava uma pescaria com a família para o próximo fim de semana. Ainda conforme a família, o pedreiro não tinha dívidas, não tinha problemas com bebidas ou drogas, vivendo sempre de bom humor, aumentando o mistério sobre a motivação do suicídio.

Um dos cinco filhos dele presenciou quando ele estava no quintal amarrando a corda na árvore, mas não desconfiou de nada. Em seguida, a vítima voltou para o interior da casa, conversou mais um pouco com a esposa e retornou para o quintal. Cerca de 40 minutos depois, a companheira de Flaudizon, estranhou a demora e foi ao quintal. Chegando lá presenciou seu marido pendurado na corda, aparentemente já sem vida.

Um detalhe curioso neste episódio, é que o galho da mangueira onde estava amarrada a corda fica a aproximadamente 1,60m do chão, e Flaudizon tinha 1,75m de altura, inclusive ele estava com os joelhos no chão quando foi encontrado, ficando a certeza de que ele encolheu as pernas para não tocar no solo e atingir seu objetivo.

A Polícia Militar esteve no local para registrar o ocorrido, e repassou o caso à Polícia Civil, que deve instaurar um Inquérito Policial para elucidar a motivação que levou Flaudizon a cometer o ato extremo. A Polícia Técnica não realizou a perícia, pois o corpo havia sido removido pela família na esperança de salvar a vítima.

Vale lembrar que é importante não remover corpos de lugar, pois o serviço da perícia é primordial na elucidação de homicídios disfarçados de suicídios, tendo como exemplo, um caso ocorrido em Esperantina, onde a vítima fora encontrada pendurada em uma corda com características de suicídio, mas posteriormente foi comprovado pela perícia que a vítima havia sido assassinada.(Patrulha na net)

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.