A Polícia Civil de Ananás encaminhou ao Poder Judiciário, na última segunda-feira, o relatório final do inquérito que apura a morte de Luciely Silva Campos, fato ocorrido na cidade de Ananás/TO. O corpo da garota foi encontrado no dia 14/07/2013, às margens do rio Araguaia, num local conhecido como Praia da Branca.

luciely silva campos
luciely silva campos

De acordo com o Delegado Dr. Rommel Rubens Costa Rabello, responsável pelo caso, as investigações apontaram que no dia 13/07/2013, no início da noite, a vítima foi levada pelo indiciado Janiel Ferreira de Almeida Menezes em direção ao Posto Fiscal do Povoado Antonina e desde então não foi mais vista com vida. Várias testemunhas afirmaram que Luciely estava bastante embriagada, tendo dificuldades em se manter em pé, bem como demonstrou não querer acompanhar o indiciado até o Posto Fiscal, no entanto, mesmo assim foi levada por ele e depois desapareceu, tendo o seu corpo sido encontrado no dia seguinte às margens do Rio Araguaia.

Após ter saído com a vítima, populares viram Janiel próximo ao local onde foi encontrado o corpo, tentando se esconder. Pensando se tratar de alguém querendo furtar às canoas que ali ficam atracadas, as testemunhas perguntaram o que o indiciado estava fazendo naquela situação e o mesmo respondeu que foi urinar. Depois disse que estaria fugindo de alguns homens com quem tinha esbarrado no escuro.

Interrogado em três oportunidades, a princípio Janiel dizia que havia deixado à vítima na carroceria de uma pick-up enquanto retornava ao acampamento da praia para pegar as chaves do Posto Fiscal, não tendo notícias de Luciely depois disso. No terceiro interrogatório, revelou que encontrou a vítima depois de tê-la deixado no veículo, ocasião em que mantiveram relações sexuais. Após o ato sexual, disse ter havido um desentendimento com a garota, ocasião em que lhe segurou pelo pescoço e a mesma caiu ao chão, desacordada.

O indiciado também afirmou que verificou os batimentos cardíacos e a respiração da vítima, mas não encontrou sinais vitais. Janiel não foi capaz de explicar a razão pela qual a adolescente foi encontrada dentro do rio, afirmando tê-la deixado no local em que a mesma caiu ao chão, que seria aproximadamente dois metros de distância do rio.

janiel, acusado do crime
janiel, acusado do crime

Janiel Ferreira de Almeida Menezes foi indiciado pelos crimes previstos no art.121, § 2º, incisos III, IV e V e 217-A, § 1º do CPB (homicídio qualificado). As investigações apontam para a possibilidade do crime de homicídio ter sido praticado para ocultar o crime sexual ocorrido anteriormente. Janiel foi indiciado também pelo crime previsto no art. 243 do ECA, por ter dado bebidas alcoólicas a duas adolescentes, uma delas a própria vitima, horas antes da mesma desaparecer.

Com a conclusão do Inquérito, o resultado das investigações foi encaminhado ao Judiciário e ao Ministério Público, para as providências cabíveis.

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.