O projeto capacitou policiais de Arraias, Dianópolis, Gurupi e Guaraí

Com objetivo de capacitar e aperfeiçoar os conhecimentos intelectuais e operacionais de policiais civis do interior do Estado, a Secretaria da Segurança Pública (SSP), por meio da Academia de Polícia Civil (Acadepol) realizou neste primeiro semestre de 2017, nos meses de maio e junho, o projeto Academia Itinerante, que capacitou 83 policiais civis das delegacias regionais de Arraias, Dianópolis, Gurupi e Guaraí.

O Projeto “Academia Itinerante: A formação continuada como instrumento de construção de uma Polícia Civil cidadã” busca a extensão do ensino e de ações de saúde para os policiais civis do interior do Estado, mediante a utilização de um micro-ônibus adaptado para sala de aula e outro para consultório, adquiridos por intermédio de convênios com o Ministério da Justiça.

Neste primeiro semestre de 2017, o curso começou no dia 15 de maio, atendendo os policiais civis da 9ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Arraias (9ª DRPC) até 20 de maio, e posteriormente seguiu até as regionais de Dianópolis (8ª DRPC), dos dias 29 de maio a 03 de junho, Gurupi (3ª DRPC), dos dias 19 a 24 de junho, e, por fim, em Guaraí (5ª DRPC), nos dias 26 de junho a 1º de julho.

De acordo com o diretor da Acadepol, delegado Marcelo Falcão, além dos aperfeiçoamentos intelectuais e operacionais, o projeto tem por escopo promover uma melhora na saúde dos policiais civis, com a redução do grau de exposição aos fatores de risco de adoecimento no trabalho, por intermédio de palestras e atendimentos individualizados efetuados por uma psicóloga, bem como pela assistente social da Gerência de Valorização Profissional da Acadepol. “Entendemos que não adianta tentarmos atualizar um profissional, caso este não se encontre saudável”, afirma o delegado.

Para os delegados, agentes e escrivães de polícia, foram ofertadas disciplinas de Qualidade de Vida e Saúde, Relações Interpessoais e Qualidade no Atendimento, Operações Policiais: armamento e tiro, cumprimento de mandados de alto risco e técnicas de abordagem policial, Investigação e Inteligência Policial e Procedimentos de Polícia Judiciária.

Já para os profissionais da Polícia Científica, foram ofertadas as disciplinas de Qualidade de Vida e Saúde, Relações Interpessoais e Qualidade no Atendimento, Operações Policiais: armamento e tiro, cumprimento de mandados de alto risco e técnicas de abordagem policial, Acidente de Trânsito e Morte violenta.

No segundo semestre de 2017, a partir do dia 31 de julho, o projeto continuará atendendo a outras delegacias regionais do interior do estado, começando por Pedro Afonso, chegando também à Capital.

Número de policiais capacitados por regional

Na Regional de Arraias, o curso foi realizado no período de 15 a 20 de maio, com a participação de 15 policiais civis, sendo 02 delegados de polícia, 02 escrivães de polícia e 11 agentes de polícia.

Na Regional de Dianópolis, o curso foi realizado no período de 29 de maio a 03 de junho, com a participação de 17 policiais civis, sendo 03 delegados de polícia, 03 (escrivães de polícia e 11 agentes de polícia.

Na Regional de Gurupi, o curso foi realizado no período de 19 a 24 de junho, em duas turmas, uma da Polícia Civil, com a participação de 21 policiais, sendo 03 delegados de polícia, escrivães de polícia e 13 agentes de polícia, e outra da Polícia Científica, com a participação de 07 policiais, sendo 04 (quatro) peritos oficiais, 02 papiloscopistas e 01 agente de necrotomia. Na Regional de Guaraí, o curso foi realizado no período de 26 de junho a 1º de julho, com a participação de 23 policiais civis, sendo 04 delegados de polícia, 06 escrivães de polícia e 13 agentes de polícia.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.