HPIM1506Em entrevista ao jornal “O Estado de São Paulo”, o promotor Edson Azambuja, da 9ª Promotoria de Defesa do Patrimônio Público do Tocantins, afirmou que o não repasse dos consignados aos bancos é mais grave que as pedaladas fiscais da presidente afastada Dilma Rousseff.

A entrevista está publicada na edição desta terça-feira, 19, do jornal paulista. A investigação foi aberta depois que o SISEPE-TO denunciou ao Ministério Público que o Governo do Estado está descontando os consignados dos servidores e não faz o repasse para as instituições financeiras. Com isso, os bancos estão negativando os servidores que têm empréstimos consignados. Leia aqui a matéria completa.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.