“Estou muito feliz de já sair daqui com uma data prevista para minha cirurgia. Tenho convivido com dores durante anos, já realizei uma cirurgia no joelho aqui no HGP, e fui muito bem atendida e agora vou fazer no outro e com fé em Deus tudo ficará bem”. A expectativa da aposentada Angelina Dias Coelho retrata a realidade da maioria dos pacientes atendidos na primeira etapa do Projeto Suporte, que aconteceu neste sábado, 18, no Hospital Geral de Palmas (HGP), parceria entre o Governo do Estado e o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into) para realização de procedimentos cirúrgicos de alta complexidade.

O projeto visa diminuir a fila de espera de pacientes que necessitam de cirurgias complexas. “Esta é a terceira vez que o Into vem ao Tocantins e estamos contentes em ver a resolutividade que esta parceria traz. Nós, enquanto gestores, trabalhamos para que nossos pacientes sejam atendidos com a melhor eficiência dentro do menor prazo possível. Contudo, muitas vezes, a demanda ultrapassa nossa capacidade e por isso a fila de espera é grande”, afirmou a diretora-geral do HGP, Renata Duran.

Sobre esta acumulação de pacientes, o anestesista e coordenador do projeto, José Luiz Ramalho, explicou: “É muito difícil para cada Estado reunir todos os equipamentos e instrumentos necessários para atender às complexidades das cirurgias. Muitas vezes, o custo e a estrutura necessários nestes procedimentos estão além do que se pode oferecer, por isso, o Into se propõe a trazer uma estrutura para o local de atendimento e realizar dentro de uma semana, por exemplo, todas as cirurgias demandadas”, enfatizou.

Segundo o coordenador, alguns procedimentos não podem ser realizados no HGP e, por isso, os pacientes serão encaminhados à sede do instituto, no Rio de Janeiro. “Todos os pacientes de coluna já têm indicação de tratamento fora de domicílio pela complexidade dos casos, mas existem casos que, mesmo trazendo nossa estrutura, não podemos realizar aqui, por isso resolveremos lá”, destacou.

Todos os pacientes encaminhados ao Into, no Rio de Janeiro, terão as despesas custeadas pelo Estado. É o caso de Giovanna Coutinho Gonçalves, de 6 anos, que precisa de uma cirurgia mais invasiva na coluna. “Só de termos a certeza de que cirurgia dela vai sair, já estamos muito contentes. Ficamos tranquilos de saber que realizando lá, a chance de tudo dar certo será ainda maior”, destacou a mãe da criança, Neuzirene Coutinho Gomes.

Etapas

Na primeira etapa, realizada neste sábado, 18, foram atendidos 72 pacientes, sendo que 23 necessitavam de procedimentos na coluna e 49 no joelho, que fizeram uma avaliação pré-operatória, com atendimento ambulatorial.

A segunda etapa acontecerá entre os dias 17 e 21 de agosto, quando serão realizadas as cirurgias de coluna. Já a terceira etapa, ocorrerá entre os dias 14 e 18 de setembro, com os procedimentos de joelho.

Projeto Suporte

O Projeto Suporte visa à integração e à assistência em traumatologia (ortopedi e traumatologia), atendendo principalmente a região Norte do País. Desde a sua primeira edição, em 2003, já foram realizadas 52 edições beneficiando cerca de 2,6 mil pacientes com atendimentos ambulatoriais, entre os quais 1,3 mil foram submetidos a procedimentos cirúrgicos.

No Tocantins, o projeto ocorre graças ao Convênio de Cooperação Técnica firmado entre a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia/Ministério da Saúde.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.