Iniciativa social que une o setor do agronegócio no País, a 4ª edição do Leilão Pecuária Solidária confirmada para ocorrer em novembro, na cidade de Araguaína (norte do Tocantins), vai priorizar as entidades sociais que necessitam de investimentos para garantir atendimento e desenvolver suas ações.

Já escolhido como um dos beneficiários de parte da arrecadação do leilão deste ano, o Banco de Leite Materno do Hospital Dom Orione, em Araguaína, utilizará o valor doado para a compra de um conjunto de equipamentos para manipulação e conservação do leite doado. Sem esse equipamento, 60 litros de leite por dia deixam de ser coletados, comprometendo a saúde dos bebês nascidos na unidade.

Ao tomar conhecimento da necessidade do banco de leite, o leiloeiro rural Eduardo Gomes apresentou esta demanda aos parceiros do leilão que concordaram e aprovaram a inclusão do Banco de Leite, que irá utilizar o recurso para aquisição do equipamento, cujo valor é de R$ 45 mil. ” Este é um investimento que irá salvar vidas na UTI Neo-Natal do Hospital”, afirmou Gomes, idealizador e criador do projeto, que já repassou  R$ 1,1 milhão para entidades carentes do Tocantins nas outras três edições do evento.

BANCO DE LEITE

Em atividade desde 2010 em Araguaína, o banco de leite humano do Hospital Dom Orione já registrou neste ano mais de 4,6 mil atendimentos individuais. Ao todo, foram coletados 300 litros de leite humano e mais de 210 litros distribuídos.

Os números são da Rede Brasileira de Banco de Leite Humano, a RBLH, e atestam que o trabalho é referência de atendimento na região norte do Tocantins. Para a coordenadora do banco de leite, a enfermeira Diana Joy Ribeiro dos Santos, o leilão vai ser vital para a melhoria do atendimento no hospital. “O hospital não tem recursos e, através desse projeto, já conseguimos que chegassem alguns equipamentos para fazer a manipulação do leite, prevenindo a contaminação. Essa parceria tem otimizado bastante as nossas atividades”, disse.

Ainda segundo Diana, cerca de 450 a 500 bebês nascem por mês no hospital, e apenas 250 são de Araguaína, aproximadamente 20%. “O leite humano para esses bebês funciona não só como alimento, mas como medicamento, pois aumenta a imunidade para que eles possam se recuperar mais rápido”, disse.

A coordenadora espera ainda difundir com o alcance da visibilidade do leilão a necessidade de doações.  “Os bancos de leite estão continuamente precisando de doações, já que a demanda é crescente e as doações limitam-se ao período de amamentação de cada mãe. O que prejudica o banco de leite é que nem todas elas se tornam doadoras. Precisamos de mais conscientização sobre a importância da doação. Nós orientamos a mãe já no hospital, ligamos para cada uma delas, mais ainda não tem sido suficiente, ainda não é cultura das pessoas fazer doação”, finalizou.

O LEILÃO

O Leilão Pecuária Solidária é uma iniciativa de vários segmentos da cadeia do agronegócio do Tocantins e de vários Estados brasileiros. Em três edições (Gurupi, em 2009; Palmas, em 2011; e Paraíso do Tocantins, em 2013) já foram arrecadados R$ 1,1 milhão, revertidos em doações para entidades assistenciais do Estado que atendem pessoas carentes.

Mais informações sobre o evento ou doações podem ser obtidas pelos telefones: (63) 3312-8774 / 9984-1181.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.