bloqueio-transamazonicaOs moradores de Araguatins e do Povoado Jarbas Passarinho, município de Palestina do Pará, entraram no segundo dia de manifestações e bloqueio da rodovia BR-230, conhecida como Transamazônica.

Com apoio de caminhoneiros, fazendeiros e estudantes, os manifestantes reivindicam o asfaltamento dos pouco mais de 12km que restam de estrada de chão, entre a cabeceira da Ponte sobre o Rio Araguaia, até a proximidade do segundo trevo de entrada para a sede do município de Palestina.

Segundo o morador e um dos lideres do movimento, Francisco Fábio Silva, a intenção é permanecer no local até que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) se comprometa a realizar o asfaltamento do trecho. “Estamos preparados para passar aqui 10, 20, 100 ou 1000 dias. Precisamos que o Governo tenha responsabilidade com as pessoas que aqui residem. Já não agüentamos mais tanta poeira”, disse o morador.

A Polícia Militar do Estado do Pará está no local desde o inicio do bloqueio, realizando um trabalho preventivo e não registrou até esta sexta-feira nenhum tipo de incidente.

O grupo de manifestantes tem recebido doações de fazendeiros e comerciantes para manter o acampamento abastecido com alimentos, água, eletricidade, caminhões e carros de apoio. Mulheres, crianças e idosos também participam da manifestação.

Apenas ambulâncias são permitidas passarem pelo bloqueio. Os diversos passageiros que utilizam o transporte por meio de vans, estão tendo de fazer a travessia à pé e pegar outro veículo do lado tocantinense para seguir viagem. Os ônibus que utilizam o trecho estão buscando rotas alternativas.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.