A imprensa tocantinense deu ampla divulgação nesta sexta-feira, 8, sobre aprovação pelo pleno do Tribunal de Contas do Estado (TCE) para a realização de tomada de contas sobre o atraso nos repasses do Governo do Estado durante a gestão Marcelo Miranda, aliado de Vicentinho, ao Instituto de Gestão Previdenciária (Igeprev). A tomada de contas visa identificar os “responsáveis” pelo atraso nos repasses.

De acordo com a 3ª Relatoria do órgão de controle, foi constatado pendências referentes às contribuições dos servidores e patronal. Segundo o TCE, a gestão cassada deixou de repassar ao Instituto mais de R$ 450 milhões.

O TCE deixou claro em sua decisão que até o último dia da gestão cassada, 18 de abril deste ano, o Governo não havia repassado as contribuições dos meses de setembro a dezembro de 2017, décimo terceiro de 2017, janeiro, fevereiro e março de 2018. O débito chega a R$ 456.309.104,71, sendo R$ 143.514.296,47 de contribuições que foram retidas dos salários dos servidores e R$ 312.794.808,24 referente a parte patronal.

Segundo o TCE também foi constatada pendência da Defensoria Pública em relação à parte patronal, referente aos meses de novembro de 2017 a março de 2018 no valor de R$ 7.972.084,19.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.