Foto: Divulgação/Polícia Civi

Um homem identificado como Fernando Rosa Cardoso, de 45 anos, foi preso neste sábado (9) suspeito de praticar estupros em série no Mato Grosso, Minas Gerais e no Tocantins. Segundo o delegado Andreson Alves, foram pelo menos sete vítimas, sendo duas em Paraíso Tocantins, quatro em Vila Rica e uma em Pato de Minas. Ele foi capturado em Divinópolis do Tocantins, região central do estado, onde trabalhava como tratorista, com identidade falsa e carro clonado.

O delegado explicou que Cardoso estava sendo investigado por dois estupros a estudantes em Paraíso do Tocantins. Os casos aconteceram em janeiro e maio deste ano. As vítimas têm entre 25 e 30 anos.

“Ele ia de carro para a saída de Paraíso do Tocantins, abordava as vítimas em pontos de ônibus e oferecia carona, dizendo que estava indo para Palmas. Ele andava por cerca de 15 a 20 km e entrava em uma estrada vicinal, onde praticava os crimes, armado com facão ou faca”, explicou.

Uma das vítimas conseguiu pegar a placa do carro e passou as informações para a polícia, que investigava o caso. Cardoso foi capturado na rodoviária de Divinópolis, onde os policiais encontraram o veículo estacionado. Ele estava no local aguardando a chegada da namorada, que havia saído de Vila Rica, com destino a Divinópolis.

O delegado informou que repassou a foto do suspeito para as vítimas do Tocantins e de Mato Grosso e elas o reconheceram. A suspeita é que ele tenha praticado os crimes em Vila Rica, onde também estava sendo investigado. Dois estupros aconteceram em dezembro de 2016 e outros dois, em maio do ano passado. Havia o retrato falado do homem, mas ele ainda não havia sido identificado.

O suspeito é também foragido do presídio de Goianésia (GO), desde 2011, onde estava preso por homicídio. No momento da prisão, ele apresentou uma identidade falsa com o nome de Fabiano Cardoso. Ao delegado, ele confessou que comprou o documento por R$ 1 mil em Brasília.

O carro clonado tinha sido comprado pelo patrão, afirmou ele em depoimento. “Ele é difícil de entender. Não fala quase nada. Só balança a cabeça. Sobre os estupros, ele disse que iria ficar em silêncio”. Ele está preso na Casa de Prisão Provisória de Paraíso do Tocantins.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.