Em áudios e imagens que circulam pelas redes sociais, caminhoneiros não descartam parar novamente na próxima segunda-feira, 4. A lenta retomada do abastecimento de combustíveis e de produtos nos mercados pode ser interrompida já no início da próxima semana. Há rumores de que os caminhoneiros vão parar novamente em todo o país. Comunicados de paralisação foram disseminados nesta quinta-feira, 31, no WhatsApp, um deles com autoria atribuída a “líderes dos caminhoneiros”, sem assinatura de entidades ligadas à categoria.

“Líderes dos caminhoneiros avisam e pedem a todos os cidadãos brasileiros para estocarem alimentos em casa e encherem o tanque dos seus carros”, alerta uma das mensagens.

Outro comunicado cita que a greve será feita por caminhoneiros e demais motoristas, como forma de reivindicar a redução do preço do diesel, etanol, gasolina, gás veicular e gás de cozinha. “Só vão ter passagem pelas rodovias ambulâncias, funerárias, medicamentos, oxigênio hospitalar e cargas vivas”, completou.

Em um dos áudios, um  homem dá detalhes de como deve ser a estratégia da nova paralisação. “Tem três opções: Brasília, casa ou estrada. Quem for para a estrada segunda-feira vai ficar parado. Porque o movimento não tá fraco, o movimento está forte. Quem pensa que o movimento está fraco, está enganado. A ordem é ir pra Brasília e parar lá ou ir pra casa. As trincheiras serão todas fechadas, não vai ter nem estrada de terra para correr. O recado está dado”, diz a mensagem.

Um caminhoneiro autônomo ouvido pela reportagem acredita na força da mobilização, iniciada pelas redes sociais assim como greve dos últimos dias. “Circulam mensagens e áudios nos nossos grupos no WhatsApp e no Facebook, e o que vejo é que há uma onda muito forte em todo o país para que a greve seja retomada”, disse.

“Desta vez, ela será bem mais forte e bem mais organizada e a ordeira. O governo está brincando com a cara do povo brasileiro e principalmente com os caminhoneiros. Só vamos voltar ao normal depois de tudo sancionado e publicado no “Diário Oficial da União”. O desconto prometido no diesel não está ocorrendo e o governo agora vai pagar o preço. Pode ser que ocorra uma greve para entrar para a história do Brasil”, ressaltou. (O Tempo)

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.