Jovem suspeito de matar Fabrício com faca

Jovem suspeito de matar o universitário Fabrício Teixeira, 24 anos, que desapareceu no dia 19 de maio, foi preso em Araguaína, norte do Tocantins. Ele foi detido na manhã desta quinta-feira, 8, por volta das 10h30, na casa dele, no Parque São João. O delegado responsável pelo caso Rerisson Macedo disse que ele confessou o crime.

O suspeito foi ouvido durante um interrogatório e deve ser levado ainda nesta quinta-feira para a Casa de Prisão Provisória da cidade.

Durante o depoimento ele disse ao delegado que matou Fabrício com uma faca, após uma discussão.

“Fabrício saiu de casa por volta das seis horas da tarde. Ele estava tendo um embate com o autor. Ele cobrava uma importância de R$ 4 mil devido a um vídeo produzido na empresa, aonde o autor teria filmado o Fabrício no banheiro com as partes íntimas à mostra. Tendo conhecimento de que esse vídeo foi produzido, Fabrício questionou e o autor disse que tinha deletado. O Fabrício disse: ‘Olha, você fez isso dentro da empresa, você vai me pagar porque senão vou te levar no RH da empresa e você vai perder o emprego”.

Corpo encontrado

Fabrício Teixeira

Segundo o delegado Rerisson Macedo não resta dúvidas de que o corpo encontrado no dia 3 desse mês, em avançado estado de decomposição, seja do estudante. Ele foi velado e enterrado no último domingo (4), em Araguaína, norte do Tocantins.

A ossada foi achada pela Polícia Militar debaixo de uma ponte. O delegado que investiga o caso, disse que o cadáver foi reconhecido por causa das roupas que Fabrício tinha ganhado da mãe no mesmo dia do desaparecimento. Parentes e amigos preparavam uma festa surpresa para comemorar o aniversário da vítima.

“Além do short e da blusa, o irmão reconheceu a arcada dentária, a integridade dos dentes. São vários indícios que nos levam a convicção de que realmente aquele corpo pertence ao Fabrício, disse o delegado.

A polícia acredita que o jovem não foi morto perto do parque Simba, onde o cadáver foi achado. O local serviu apenas como desova. A suspeita é que o universitário foi morto a facadas.

“Um rapaz que não tinha histórico de antecendentes criminais, pelo contrário, era uma pessoa trabalhadora, íntegra, um rapaz estudioso, gostava de estar no convívio da família, boa amizades. Então, não existe nenhum histórico que nos leve a possiblidade que alguém possa ter feito isso a ele por rixa ou fator dessa ordem”, complementou o delegado.

Entenda

O estudante Fabrício Martins Teixeira, de 23 anos, que desapareceu na sexta-feira, 19 de maio, em Araguaína, norte do Tocantins. Um dia após o sumiço, a motocicleta dele foi encontrada abandonada em uma rua no Jardim Paulista. Nesse dia, a família foi até a Polícia Militar para comunicar o caso. Fabrício era estudante de educação física.

O irmão dele, Ricardo Teixeira, disse que ele saiu de casa na sexta-feira sem documentos ou dinheiro e não deu mais notícias. “Ele estava sozinho em casa, ninguém o viu saindo. A gente não sabe o que aconteceu porque ele nunca fez isso. Ele é muito caseiro e sempre avisa para onde vai”.

No dia, parentes e amigos planejavam a festa de aniversário do rapaz, que completou 23 anos no domingo (21). O irmão conta que ele também estava ansioso para ir a uma festa da faculdade no sábado. “Eu cheguei a ir à festa para ver se ele apareceria e nada. Ele não estava lá”, contou. (G1)

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.