Ao lado dos alunos, a secretária destaca que a escola leva a educação para fora dos muros

Música, dança, teatro e literatura infantil tomaram conta da Praça do Pioneiro de Araguatins nesta quinta-feira, 29. Durante toda a manhã, alunos da Escola Evangélica Daniel Berg apresentaram leitura de trechos de obras literárias, declamação de poesias, teatro e mágica. Na plateia, uniformes da escola se misturavam a personagens como Emília, Cuca, Visconde de Sabugosa, Saci, Menino Maluquinho, mágicos, reis e princesas.

As apresentações fazem parte do Projeto Aluno Leitor e Escritor Nota 10, que a escola desenvolve como ferramenta de incentivo à leitura entre as crianças. O projeto conta com uma gama de atividades, como concurso de leitura, concurso de oratória, cantinho da leitura, piquenique literário, maleta da leitura, concurso de soletração e empréstimo de livros.

Um palco improvisado era o cenário para contos, prosas e poemas. De acordo com a diretora da escola, o projeto tem como objetivo despertar nos alunos o gosto pela leitura e pela escrita. “Pensamos no projeto como forma de envolver toda a equipe da escola na formação de novos leitores. Com essas atividades, nós buscamos fazer com que nossos alunos sintam-se seduzidos pelo universo da literatura”, destacou Marina Resplandes da Costa.

Outra faceta interessante do projeto é a oportunidade que a escola dá aos leitores ao expandir os limites de sua biblioteca. “Com isso nós estendemos a nossa biblioteca para o pátio da escola, para a praça, de forma que as crianças possam ter acesso aos livros e a espaços de leitura”, completou a diretora.

A Secretária de Estado da Educação, Juventude e Esportes, professora Wanessa Zavarese Sechim, esteve nas apresentações dos alunos da Escola Evangélica Daniel Berg, que é conveniada à rede estadual de ensino. Para a gestora, a escola fortalece a educação ao superar barreiras e formar novos leitores. “Isso que é o importante. O projeto está promovendo a leitura entre os alunos e levando a educação para fora dos muros da escola”, pontuou.

Entre os alunos, a expectativa de se apresentar aos colegas da plateia era misturada à alegria de encarnar personagens clássicos de nossa literatura. Com seu chapéu pontudo de mago, Fernando Henrique de Almeida, admite que ainda não possui o gosto pleno pela leitura. Mas o aluno garante que com o projeto e com o incentivo dos pais, a vontade de ler tem aumentado. “Eu tenho muitos livros em casa, mas gosto de ler revistas em quadrinhos. É muito legal me apresentar par os meus colegas da escola”, disse.

Pai de Fernando Henrique, Euvaldino Fernando de Almeida Sousa reforçou a importância de a escola promover ações e projetos que desenvolvam nas crianças o gosto pela leitura e pela escrita. “Eu acho de extrema importância esse projeto porque desperta nas crianças o desejo da leitura. Eu vejo que tem feito a diferença entre os alunos”, ponderou.

Em um mundo em que a tecnologia tem assumido um papel cada vez maior na vida das pessoas, projetos que incentivem a leitura de livros, de clássicos da literatura, ainda são de grande importância na vida de crianças e na formação de novos leitores. Prova disso os personagens de Ziraldo, Monteiro Lobato e outros autores que  insistem em ocupar o imaginário infantil.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.