Corpo foi encontrado embaixo de ponte próxima ao Parque Cimba

O Ministério Público Estadual (MPE) denunciou nesta quinta-feira, 15 de junho, o auxiliar de produção Hiago Ferreira da Silva pela morte do estudante Fabrício Martins Teixeira. O crime teria acontecido no último dia 19 de maio em Araguaína.

Segundo a denúncia, Hiago teria esfaqueado a vítima e depois ocultado o cadáver em um córrego nas proximidades do Parque Cimba.

As investigações apontaram que Hiago teria filmado as partes íntimas da vítima Fabrício, no banheiro da empresa onde trabalhavam, tendo divulgado o vídeo em redes sociais. Ao tomar conhecimento a vítima passou a solicitar uma indenização do denunciado.

Segundo o Promotor de Justiça, autor da denúncia, Pedro Jainer Passos, foram vários dias de negociação até que o denunciado arquitetou o plano de ceifar a vida de Fabrício, que no dia do crime teria ido a casa de Hiago para receber o dinheiro, e foi esfaqueado. Consta ainda que, em seguida, o denunciado cometeu fraude processual ao jogar o corpo em embaixo de uma ponte que dá acesso à UFT e levar a motocicleta da vítima para uma rua no Jardim Paulista, com o intuito de alterar o local do crime e despistar as investigações da Polícia Civil.

Na denúncia, o Promotor pede que a prisão temporária seja convertida em prisão preventiva e que Hiago seja condenado por homicídio qualificado pelomotivo fútil, pelo meio cruel e pela dissimulação, devendo, ainda responder pelos crimes de ocultação de cadáver e de fraude processual.

Hiago foi preso na última quinta-feira, dia 8, por policiais civis sob o comando do delegado Rerisson Macedo e confessou o crime.

corpo

O corpo do estudante de Educação Física foi encontrado na manhã do último sábado, 3, depois de uma denúncia feita via 190 em que a pessoa não identificada informou que havia um forte mau cheiro nas proximidades da ponte que fica entre o CAT e o Parque Cimba.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.