Deputado Wanderlei Barbosa/Foto: Dicon/AL
Deputado Wanderlei Barbosa/Foto: Dicon/AL

Nesta terça-feira, 07, na tribuna da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Wanderlei Barbosa (SD) disse que não se sentiu surpreso quando soube de duas ações na justiça impetrada pelo prefeito de Palmas Carlos Amastha (PSB), quando ele parlamentar, estava fora do Estado em um evento da UNALE, ações por denúncias feitas pelo deputado na Assembleia, baseadas em denúncias publicadas em sites de notícias do Estado, Portal da Transparência e Diário Oficial do Município.

O parlamentar disse que Carlos Amastha gosta tanto de dinheiro que além das várias demandas judicias feitas por órgãos fiscalizadores e denunciadas por portais de notícias de suspeitas de desvios de dinheiro público para uso próprio, agora quer calar a boca do povo pedindo indenização por essas denúncias irem a público. “Ele gosta tanto de dinheiro, 100 milhões de reais custou o jogos indígenas, e nenhum legado ficou para Palmas”, disse o parlamentar.

O deputado citou vários convênios da prefeitura e que não aparecem os benefícios, como o do esporte no valor de R$ 7 milhões e que foi matéria de denúncias nos sites de notícias local. O parlamentar afirmou que não vai se calar diante dos absurdos praticados por Amastha, citou também um convênio feito com Saneatins Odebrecht Ambiental e Prefeitura de Palmas no valor de 30 milhões, e questionou, “onde estão as obras?”. Ele falou também de outra matéria veiculada, que denunciou um convênio do Instituto Áquila de Consultoria e Prefeitura no valor de R$ 5 milhões de reais. “São tantas dúvidas e o Amastha insiste nas demandas que facilitam os desvios de verbas”, disse.

Wanderlei falou sobre os manejos que o Amastha faz com as licitações públicas da Prefeitura da Capital desrespeitando o edital, onde o executivo desclassifica sem critérios a empresa vencedora e contrata a segunda colocada dizendo que vai economizar e dessa maneira o povo de Palmas paga a mais.

Serviços públicos parados

O deputado disse que os órgãos públicos param, devido o corte de energia elétrica e que o Shopping da Cidadania em Taquaralto está paralisado, e que a única obra de Amastha no Setor Taquari é a “casa dele” e apenas para tentar enganar a população. O deputado criticou também o destino do dinheiro arrecadado com o estacionamento rotativo da capital.

Wanderlei falou ainda que Amastha pediu agora 500 milhões de reais em final de mandato, ele quer endividar Palmas e sumir com o dinheiro, o governo não tem projeto nem planejamento, e solicitou atenção da câmara de vereadores de Palmas para frear as loucuras do prefeito tendo em vista que já se aproxima o final do mandato e que não há necessidade de tanto dinheiro emprestado para o município, para fazer nada com nada.

O parlamentar concluiu pedindo a ajuda e contribuição do Ministério Público Estadual (MPE) para fiscalizar Amastha e para que o executivo não comprometa o futuro de Palmas.

Na ocasião, o deputado Olyntho Neto (PSDB) disse que Wanderlei Barbosa é um deputado combativo e defensor do povo e que Amastha não vai calar nenhum deputado e reiterou que sempre que o prefeito pisar fora da linha será questionado e sugeriu a Amastha que ande na legalidade, enfatizou a “legalidade, prerrogativa e legitimidade” dos deputados.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.