Marcos Milhomens, Publicitário
Marcos Milhomens, Publicitário

Adentramos o mês de junho e afunilam-se as articulações e “costuras” políticas para as eleições deste ano.

Partidos. Indefinições sobre candidaturas. Inegibilidades. Vice-decorativa aspirando ao paço municipal.

Enfim, o cardápio é variado.

O cenário político na Capital vai se desenhando de forma muito interessante. Atentando-nos apenas aos nomes principais, observemos:

Temos um Ex-Prefeito condenado por crime ambiental e inelegível. Situação irreversível. Não há cachoeira que dê jeito.

Um Ex – Deputado Estadual que conseguiu um feito inédito: Ser eleito como Vice-Prefeito de Palmas, mas renunciar antes de assumir. Há quem diga que foi por questões demasiadamente convenientes. Uma vez que deixar as regalias como Deputado para assumir uma Vice-Prefeitura não estava nos seus planos naquele momento.  Eu particularmente não acredito nisso.

Associada ao imbróglio e a inércia, está a Vice-Governadora que representa coisa nenhuma. Pleitear à Prefeitura de Palmas na realidade claudicante que atravessa o Estado é uma incoerência sem tamanho.

Tudo bem que a pauta “Saúde” no estado do Tocantins sempre foi um gargalo gigantesco. Mas a impressão que se tem hoje é que beira o caos. Tudo de mais chocante e inimaginável ouve-se falar do HGP. Até esparadrapo tava faltando. Sem contar com os salários atrasados. Os descontos em folha de pagamento não repassados aos planos de saúde. Os empréstimos consignados dos servidores que também não estavam sendo repassados aos bancos e operadoras de créditos, greves e paralisações, enfim, qual a envergadura moral para pedir voto num cenário tenebroso como esse?

Ela vai ter que explicar o inexplicável.

Tragicômico.

Por fim, vemos o Prefeito caminhar a passos largos para a reeleição. Consolidando e pagando dívidas históricas que Palmas sempre teve. Sempre!

Essa cidade sempre conviveu de perto com a especulação imobiliária. Com os latifúndios urbanos. Agora isso acabou. A atitude do Prefeito Amastha de leiloar áreas e bloquear bens dos grandes inadimplentes é algo próximo ao revolucionário. Como diria meu pai: “Tem que ter peito pra fazer”

E ele fez!

Só pra gente ter uma noção básica, os 50 maiores inadimplentes da Prefeitura de Palmas somavam juntos um montante de inacreditáveis quase meio bilhão de reais. Isso mesmo. Quase 500 milhões de reais em IPTU.

Advinha quem tava pagando essa conta?

Também podemos colocar na conta do Prefeito Amastha a regularização de quadras históricas e simbólicas da Capital, como é o caso do Setor Santo Amaro.

O anúncio da licitação da pavimentação asfáltica de várias quadras que convivem com a poeira desde que Palmas é Palmas. A 508 norte e 408 norte, são exemplos claros.

Mas sem sombra de dúvidas, asfaltar o Taquari vai ser indubitavelmente uma conquista muito grande. Uma vitória daqueles que foram historicamente esquecidos, inclusive na passagem da tocha olímpica.

O Taquari merece e muito!

Pode colocar na conta dele também.

Na realidade que se desenha. No cenário que se faz.

É o novo. De novo.

 

Marcos Milhomens

Publicitário

 

 

 

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.