Moradores do norte do Tocantins interditam desde às 5h desta segunda-feira (20) um trecho da TO-010, entre Wanderlândia e os municípios de Ananás e Riachinho. O protesto é para cobrar melhorias nas estradas. Segundo os manifestantes, a rodovia está praticamente intransitável, devido aos buracos, o mato alto e a falta de sinalização.

Participam da manifestação moradores dos povoados, pais de alunos e chacareiros.

Para impedir a passagem dos veículos, eles colocaram pneus e folhas na rodovia. A intenção é que a interdição continue até as 21h deste dia. Uma das integrantes da manifestação, Letícia Cardoso, informou que toda a rodovia precisa de reparos.

“É toda a rodovia, mas o trecho mais crítico é entre os povoados de Sororoca e Centro dos Borges. Há muitos buracos perto de curvas acentuadas e de pontes, o que aumenta ainda mais o risco de acidentes”.

Letícia informou ainda que o tempo que se perde para trafegar no trecho, que tem cerca de 20 km, é muito grande. “Os chacareiros que precisam das estradas para escoar a produção são prejudicados. A situação é crítica. Há alguns dias, uma ambulância que levaria uma paciente para Araguaína preferiu ir a Xambioá (PA) do que enfrentar os buracos”, relatou.

Resposta

Em nota, a Agência Tocantinense de Transportes e Obras informou que a Residência Rodoviária de Araguaína, responsável pela conservação da malha rodoviária da região, fez alguns reparos nesse trecho há alguns dias e no ano passado.

Informou também que como houve o aumento de preço da emulsão asfáltica, um dos principais produtos utilizados na fabricação do pré-misturado de massa asfáltica, o fornecimento desse material foi suspenso até a realização de aditivo de valores ao contrato em vigência.

Esse processo de realinhamento de preço, conforme a agência, leva um tempo maior. Por fim, explicou que a Superintendência de Operação e Conservação está mobilizando equipe para começar a operação tapa-buracos o mais breve possível. (G1)

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.