Foto: Lucas Ferreira
Foto: Lucas Ferreira

A Segunda Comissão Disciplinar do Tribunal de Justiça do Futebol Tocantinense realizou ontem julgamento do episódio  de agressões sofridas pelo árbitro assistente Gilvaneiz Pires – no jogo entre Araguaína 1 x 2 Tocantinópolis – válido pela última rodada da primeira fase do Estadual.

Os agressores do assistente – o goleiro William e o meia-atacante Thiago Floriano pegaram 720 dias de suspensão. Já o técnico do Araguaína, Edson Ferreira foi suspenso um ano e o Araguaína foi penalizado com a perda de seis mandos de campo e uma multa no valor de R$ 5 mil. O clube ainda pode recorrer desta decisão.

Agressão

A confusão começou por causa de um lance já no final do jogo. Aos 47 do segundo tempo, quando o ataque do Tourão do Norte mandou uma bola na área, em meio a um bate-rebate, os atletas afirmaram que a bola entrou, mas a arbitragem não marcou. Revoltados, os jogadores começaram a agressão, que acabou se transformando numa confusão generalizada Gilvaneiz foi agredido e fraturou o braço. (Reinaldo Cisterna)

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.