SONY DSC
SONY DSC

A greve do Quadro Geral vai continuar por tempo indeterminado. É o que decidiu a categoria durante as Assembleias Gerais realizadas em Palmas, Araguaína, Gurupi, Porto Nacional e Taguatinga. Os servidores públicos também decidiram rejeitar a proposta do Governo de parcelar o pagamento da data-base e deixar a negociação das progressões para 2016. Ao todo, 648 servidores participaram das Assembleias. Desse percentual, somente 03 foram contrários à greve e favoráveis à proposta do Governo.

As Assembleias aconteceram simultaneamente, às 16 horas, e reuniram os servidores que estão participando do movimento grevista. Segundo o Comando Geral da Greve, a greve afetou os serviços prestados à população e, apesar das inúmeras ameaças denunciadas ao SISEPE-TO no primeiro dia de greve, os servidores públicos participaram em grande número em todo o Estado: a adesão superou 90% tanto em Palmas quanto no interior.

Na Capital, a Assembleia foi presidida pelo presidente do SISEPE-TO, Cleiton Pinheiro. Antes de apresentar a proposta para deliberação, Pinheiro falou sobre o histórico da negociação, demonstrando que o Sindicato tem travado uma extensa negociação com o Governo, principalmente, no que se refere às progressões.

Em seguida, o presidente argumentou sobre o Projeto de Lei nº 13/2015, que foi encaminhado no último dia 15 para a Assembleia Legislativa. O projeto prevê o pagamento da data-base em duas parcelas, sendo a primeira de 4,1704% em maio e a segunda, de 4,0033% em novembro. Quanto ao retroativo, a intenção é pagar em 24 vezes, iniciando na folha de fevereiro de 2016. “O Governo quer parcelar a data-base, mas isso é inconstitucional, porque descaracteriza a correção da inflação”, argumentou Cleiton Pinheiro.

Em todas as Assembleias realizadas pelo SISEPE-TO, a rejeição da íntegra proposta do Governo superou 99%.

SEGUNDO DIA

A greve dos servidores do Quadro Geral continua nesta quarta-feira, dia 17 e desta vez, a concentração está acontecendo na Assembleia Legislativa. Os servidores vão passar todo o dia na Assembleia, onde acompanharão a votação do projeto de lei da data-base. A concentração iniciou às 9 horas. “Nosso intuito é sensibilizar os deputados estaduais sobre a inconstitucionalidade desse projeto”, pontou Cleiton Pinheiro.

Às 16 horas, os servidores se reunirão novamente em frente à Secretaria da Administração (SECAD), na Praça dos Girassóis. Acontecerá uma nova Assembleia Geral para deliberar sobre os rumos da greve. As Assembleias acontecerão em Palmas e no interior.

LISTA DE PRESENÇA

O SISEPE-TO orienta que os servidores não deixem de assinar a lista de presença da greve, todos os dias e encaminhem o original para o Sindicato. O documento pode ser baixado no site http://www.sisepe-to.org.br/sindicato/.

CORTE DE PONTO

Durante o primeiro dia de greve, o SISEPE-TO recebeu inúmeras denúncias relatando assédio moral e tentativa de impedimento ao direito de greve. A Assessoria Jurídica está adotando as medidas cabíveis em cada caso e o Sindicato informa que, nesta quarta-feira, dia 17, o Governo do Estado publicou nota divulgando que não há orientação para corte de ponto. Sendo assim, os servidores exercer o direito à greve normalmente.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.