Unidade dará assistência aos usuários do SUS; e as motos vão agilizar o atendimento em ocorrências no trânsito de Araguaína
Unidade dará assistência aos usuários do SUS; e as motos
vão agilizar o atendimento em ocorrências no trânsito de Araguaína

O prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas inaugurou na manhã desta terça-feira, 9, o Centro Municipal de Fisioterapia e também implantou oficialmente o serviço de motolâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O Centro recebeu o nome de Rivaldo Ferreira Miranda, em homenagem ao funcionário que trabalhou como diretor no local, que na época era a Policlínica do Bairro São João, entre os anos de 1993 e 1994.

O prefeito comentou sobre a ampliação dos serviços na atenção básica de Araguaína. “Mais um avanço, mais um serviço, que a gente coloca a disposição para a população de Araguaína e ampliando ainda mais essa referência, que nós temos na área da saúde. Então, a partir de hoje podem usufruir de um novo serviço, o serviço de fisioterapia, e que também, em breve, será ampliado para a região”, destacou o prefeito.

Em relação às motolâncias, Dimas explicou que os veículos darão mais agilidade aos atendimentos do Samu. “As motos tem o objetivo de prestar um atendimento mais rápido, para um atendimento que não haja a exigência de uma ambulância no local e a moto pode ou antecipar esse atendimento ou mesmo resolver aquele atendimento com mais celeridade”, comentou.

O secretário municipal de Saúde, Jean Coutinho Luís, disse que a motolância é o primeiro socorro no atendimento ao trauma, e o Centro de Fisioterapia é o processo de finalização do trauma. “São dois serviços muito importantes para o município. São as primeiras motolâncias a serem implantadas no Estado, Araguaína sempre saindo na frente em relação aos serviços de saúde”, completou o secretário.

Sobre o Centro, Jean Coutinho destacou a importância da unidade para o Município apresentando dados levantados pela Secretaria Municipal de Saúde. Segundo o secretário, 80% das ocorrências do Hospital Regional de Araguaína (HRA) são traumas; dessa porcentagem, 53% são traumas decorridos de acidentes de motos. “Então esses dados só vêm a demonstrar a importância desse serviço que está sendo implantado e oferecido hoje para a população”, finalizou.

A solenidade de inauguração do Centro e entrega das motolâncias contou com a presença de familiares de Rivaldo, a mãe, irmão, filhos e netos. A filha de Rivaldo, Joice Lucena, ficou bastante emocionada ao falar do trabalho do pai na época em que a unidade era a Policlínica e agradeceu a homenagem dada a ele, colocando o nome do seu pai no Centro. Para o irmão Reinaldo Ferreira Miranda, foi o reconhecimento do trabalho realizado por Rivaldo em Araguaína.

Também participaram do evento secretários municipais, vereadores e comunidade do Bairro São João.

Centro de Fisioterapia

O Centro de Fisioterapia oferece quatro fisioterapeutas, 10 salas e terá capacidade inicial de atender até 500 pacientes por mês, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18 horas. Os serviços de fisioterapia serão disponibilizados a usuários com dificuldades de locomoção, portadores de agravos-ortopédicos (vítimas de acidente, problemas na coluna, hérnia de disco, entre outros), pacientes com problemas mentais e com dificuldades para respirar, bem como tratamento preventivo para reeducação de postura e idosos.

Um dos fisioterapeutas que vai atuar na unidade, Juliano Elias, explicou que o Centro vai atender desde a parte de prevenção até a parte do pós-operatório, cirurgias, traumas neurológicos, acidente vascular cerebral (AVC). “Na verdade a gente vai atender da parte neurológica até a ortopédica”, explicou. “Não tínhamos um serviço que era disponibilizado para toda a população. Tínhamos uma carência nesse setor. Acredito que a gente vai conseguir suprir de uma forma melhor a demanda da população que necessitava desse serviço”, concluiu.

Para a aposentada Jurema Bonamigo a unidade veio para atender as pessoas que necessitavam esse tipo de atendimento de forma mais ampliada. “Tenho mais de 20 parafusos no pé, se eu não fizer fisioterapia vou entrevar”, explicou. “Essa unidade faltava na nossa cidade. Tem muita gente que não anda por falta de fisioterapia”, finalizou dona Jurema.

Associação de moradores

A presidente da Associação de Moradores do Bairro São João, Maria do Bairro, afirmou que o Centro de Fisioterapia vai beneficiar tanto os moradores do bairro, como também toda a população de Araguaína.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.