Mario Lúcio Avelar

O candidato ao governo na Eleição suplementar, Mário Lúcio Avelar (PSOL), teve o registro de candidatura negado por unanimidade pelo Tribunal Regional Eleitoral na tarde desta sexta-feira (18). O registro foi negado porque o candidato é procurador federal e não pediu exoneração do cargo para disputar a eleição suplementar.

No entendimento dos juízes, cumprindo a Constituição Federal, membros do Ministério Público e da magistratura não podem exercer atividade política e partidária estando apenas licenciados de seus cargos. Ou seja, o candidato deveria ter pedido exoneração do cargo de procurador.

O julgamento da candidatura tinha sido suspensa no início da semana porque o partido teve as contas rejeitadas em 2015. Porém, o partido conseguiu uma liminar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) garantindo a participação do partido na eleição suplementar. A eleição acontece no dia 3 de junho.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.