Aos empresários do ramo da indústria do Estado, Carlesse reiterou seu modelo de gestão com austeridade, focando principalmente na redução de despesas para que o Governo tenha condições de cumprir os compromissos com os servidores e fornecedores do Estado e também para que o Governo possa captar recursos para investimentos. Um dos compromissos firmados com Carlesse aos presentes, foi a renovação dos incentivos fiscais que estão por vencer. “O que o investidor que já está no Estado precisa e para o que quer vir pra cá necessita é de segurança jurídica, d e estabilidade. O Estado não aguenta tanta troca de Governo. A renovação dos incentivos fiscais é meu compromisso com a classe industrial, pois temos que, neste momento, pelo menos manter as condições para que essas indústrias continuem operando dentro do Estado”, afirmou Carlesse.

O candidato contou sua história de vida, falou de sua experiência no ramo da indústria e da agropecuária e relatou sua breve carreira política, desde que assumiu o mandato de deputado estadual, presidente da Assembleia Legislativa, até assumir interinamente o Governo do Estado.

Carlesse lamentou que adversários tenham buscado a Justiça para engessar as ações do Governo, principalmente a redução de despesas e a busca dos empréstimos para investimento na infraestrutura do Estado. “Quem trabalha para barrar os investimentos no Estado e a redução de despesas só pensa no interesse próprio. O Estado precisa de grandes obras para fomentar a economia, abrir frentes de serviço para captar esses trabalhadores que precisam do emprego”, afirmou.

Mauro Carlesse elencou ações que já empreendeu para redução de despesas visando equilibrar as contas do Estado, afim de enquadrar a administração estadual às regras da Lei de Responsabilidade Fiscal e que trabalha para resgatar a credibilidade do Estado junto a fornecedores e servidores. “Vocês imaginam uma indústria que não paga nem seus fornecedores e nem os funcionários, como vai levar seu produto ao consumidor? Era assim que o Estado era administrado. Agora estamos renegociando com os fornecedores e trouxemos o pagamento dos servidores para o dia primeiro, pois os servidores sustenta m o comércio, que sustenta a indústria”, declarou.

Devido seu relacionamento com grandes industriais no estado de São Paulo, Mauro Carlesse declarou que tem conversando com esses empresários pra empreenderem no Tocantins. “Eles dizem que o Tocantins tem pouca demanda e que produzem em larga escala e eu tenho explicado que temos outros seis Estados que dividem com o Tocantins e tem grande mercado consumidor, portanto, tem mercado sim e resta ao Tocantins completar sua infraestrutura, para melhorar a nossa logística e isso cabe ao Governo fazer com gestão séria, pulso firme e planejamento”, finalizou.

Ao fim do evento, o presidente da Fieto, Roberto Pires, entregou a Mauro Carlesse a carta da indústria com as reivindicações do setor.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.