O jovem suspeito de matar a própria mãe, a professora Delma França Carvalho Paulino, de 42 anos,voltou a Palmas após ficar cinco dias desaparecido. Ele chegou a se apresentar na Delegacia da Infância e Juventude com um advogado, mas saiu do local e está sendo procurado pelos agentes.

A namorada dele, suspeita de envolvimento no caso, também foi até a delegacia nesta manhã e foi ouvida na Delegacia da Criança e do Adolescente. Os dois têm 17 anos. O assassinato aconteceu na última quinta-feira (17).

O titular da Delegacia de Homicídios, Guido Camilo, disse que já havia um mandado de internação contra os dois menores. O pai da garota contou à reportagem da TV Anhanguera que a filha foi encontrada no Mato Grosso.

Momentos antes do corpo da professora ser encontrada, os dois adolescentes saíram do grupo de WhatsApp da família e depois disso não foram mais vistos. Eles moravam com a vítima, na região norte da capital.

A investigação ainda está no início, mas a Polícia Civil informou que encontrou uma agenda com anotações suspeitas na casa. Havia informações sobre como fazer primeiros socorros. A forma como o corpo da professora estava também chamou atenção. Algumas partes estavam cobertas de sal.

Os vizinhos disseram que consideravam a vítima uma pessoa tranquila. Ela levou pelo menos dez facadas durante o assassinato. O irmão dela disse que tentou falar com ela no dia do crime, mas não conseguiu. O corpo só foi encontrado durante a noite. (G1)

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.