Foto: Divulgação

O fim da primeira etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa, que ocorreria nesta quinta-feira, 31, foi prorrogado para o dia 15 de junho. A autorização foi comunicada à Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), na terça-feira, 29. De acordo com o comunicado, o motivo se dá em decorrência da greve dos caminhoneiros que afetou vários setores, inclusive o setor de distribuição e venda de vacinas.

O Tocantins, assim como vários estados, solicitou a dilação do prazo da campanha para que os produtores rurais não fossem prejudicados. “Agora terão mais tempo para se adequarem e executar a vacinação do rebanho, com isso, podemos assegurar os altos índices vacinais e o fortalecimento do status sanitário como livre da doença”, afirmou o presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha.

“O pecuarista precisa ficar atento também com a comprovação do ato, que poderá ser feito até 10 dias após a compra da vacina, nas unidades da Agência em todo o Estado”, alerta o responsável pelo Programa Estadual de Erradicação da Febre Aftosa, João Eduardo Pinto Pires. A multa para quem deixar de vacinar é R$ 5,32 por animal e R$ 127,69 por propriedade não declarada.

Campanha

A primeira etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa tem a meta de vacinar 8,7 milhões de bovinos e bubalinos, indiferente da faixa etária, distribuídos em aproximadamente 56,4 mil propriedades rurais.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.