Amastha

O programa eleitoral gratuito da coligação “A Verdadeira Mudança” mostrou o candidato a governador Carlos Amastha (PSB) deslumbrado com as belezas do Bico do Papagaio e do Jalapão, mas ao mesmo tempo decepcionado com as dificuldades e falta de perspectivas das pessoas, como Manoel Barqueiro, que vivem nas duas regiões para as quais o governo do Estado parece nunca ter olhado.

“É lógico que nenhum candidato a governador nunca veio por aqui. Governador, tenho certeza que nunca veio. Não é possível que ninguém tenha pensado nas enormes potencialidades e nas belezas que tem isso aqui”, afirmou Amastha enquanto contemplava, durante passeio de barco, o encontro das águas dos rios Araguaia e Tocantins no município de Esperantina, no Bico do Papagaio, marcando as divisas entre Tocantins, Maranhão e Pará.

“E de que adianta toda essa beleza, essa preservação, se as pessoas também são as mais pobres de toda essa beirada”, indignou-se o ex-prefeito de Palmas, lembrando o que sua gestão fez do turismo um das principais fontes de desenvolvimento da Capital ao fomentar vários setores da economia em torno dele, gerando emprego e renda para a cidade.

Um diamante a ser lapidado

“Muita gente não acreditava nisso. Fizemos em Palmas, imagina o que não faremos com o Jalapão, com o Bico do Papagaio, com a Ilha do Bananal, com o Peixe com tantas potencialidades e maravilhas que esse Estado tem. Isso é um diamante para ser lapidado”, disse o candidato a governador.

Já no Jalapão, onde contemplou a Cachoeira da Formiga, o prefeito descobriu uma personagem que ilustra bem as dificuldades enfrentadas pelos empreendedores da região para conseguir gerar renda e emprego na região. Uma das principais é a total falta de infraestrutura, traduzida pelas estradas intrafegáveis e comunicação precária.

Ao se deliciar com os sorvetes feitos de frutas da região – bruto, mangaba, jatobá, puçá, cagaita, catolé -, Amastha viu de perto as dificuldades da proprietária. “Sempre tivemos dificuldades de trazer o sorvete pra cá por causa da distância; aí a estrada estando do jeito que está, realmente dificulta. Gasta-se muito mais; é o veículo que não aguenta. Então gera um custo muito maior por causa das estradas.

E o candidato a governador pelo PSB conheceu uma estrada de perto, ligando Mateiros a São Félix do Tocantins. “Me explica, como é que faço para passar agora com essa cratera. Se estivesse fazendo um rali, se estivesse numa aventura, fácil, mas se precisasse de um atendimento de saúde, se estivesse dentro de uma ambulância, precisando de um atendimento de urgência, a pessoa que estivesse a bordo, né, não teria tempo de chegar e de ser atendida”, lamentou.

“Precisamos mudar essa realidade, gente, é muita beleza. Precisamos ter um planejamento estratégico e ações continuadas para que o turismo se torne efetivamente uma fonte de renda para esse Estado. A gente fez em palmas, vamos fazer no Tocantins também”, garantiu.

 Turismo gerou sete mil empregos em Palmas

O programa ainda lembrou que Amastha cumpriu tudo o que prometeu para o turismo em Palmas – diminuiu impostos para hotéis; trouxe grandes eventos nacionais e internacionais; valorizou a cultura local; deixou a cidade bonita; fez a Páscoa e o Natal do sonho; fez o maior festival gastronômico do Brasil; concluiu o Centro de Convenções; capacitou a mão de obra local; fez o Capital da Fé, maior festival de música cristã do País; reconstruiu as praias; o Parque Cesamar; fez o Parque dos Povos Indígenas; apoiou a produção de filmes e novelas gravados em Palmas; fez o maior São João da Amazônia. O resultado? Sete mil empregos. E encerrou com um “agora imagina quantos empregos Amastha pode gerar com o turismo no Tocantins”. Confira íntegra do programa pelo linkhttps://youtu.be/nAJKf2KZ0ts.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.