Foto: Divulgação / Ilustrativa

A Polícia Civil de Araguaína, efetuou, na manhã desta terça-feira (8), a prisão de Antonio dos Reis Vangelico de Oliveira, de 33 anos. Ele é suspeito pela prática do crime de estupro e estupro de vulnerável e foi capturado, mediante cumprimento a mandado de prisão preventiva.

Conforme o delegado regional Bruno Boaventura, o homem é investigado pelo crime de Estupro de Vulnerável majorado contra sua enteada, que tinha entre 11 e 12 anos de idade, à época dos fatos e estupro, cárcere privado e lesões corporais contra sua ex- companheira, que possuía 14 anos na data dos crimes.
No mês de março de 2017 foi instaurado em desfavor do investigado, um inquérito policial que apurava o estupro de vulnerável contra sua enteada. Na época, em virtude da insuficiência de elementos informativos e da criança apontar seus tios como autores dos supostos abusos, foi promovido pelo MPTO e homologado pela autoridade judicial, o arquivamento do procedimento em desfavor de Antonio.
Já em 2018, em razão do surgimento de novos fatos (gravidez de sua enteada), a DECA peticionou representando pelo desarquivamento do inquérito anteriormente arquivado. Desta maneira, durante o cumprimento das diligências, os policiais civis constataram que a enteada do investigado era vítima de estupro de vulnerável e que, possivelmente, Antonio seria o pai da criança.
Ainda durante a fase investigatória, a Polícia Civil também constatou que Antonio havia praticado os crimes de estupro majorado, cárcere privado (não permitia o contato da vítima com familiares ou terceiros), e ameaça em desfavor de sua ex- companheira.
Diante das evidências e buscando preservar a ordem pública, a DECA representou pela prisão preventiva do indivíduo à Vara Especializada no Combate de Violência contra a Mulher de Araguaína, o que foi prontamente deferida. Com a ordem judicial em mãos, os policiais civis da Deca localizaram o paradeiro de Antonio, o qual se encontrava na Avenida Cônego João Lima, no Setor Entroncamento e efetuaram a prisão do mesmo.
Após os procedimentos legais cabíveis, o indivíduo foi recolhido à Casa de Prisão Provisória de Araguaína (CPPA), onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário. Os dois inquéritos estão em fase final e serão remetidos à justiça local.
Por fim, os Delegados da DECA informam que qualquer crime praticado por, ou contra crianças e adolescentes, pode ser comunicado diretamente na DECA-Araguaína, a qual fica localizada no Complexo de Delegacias, situado na Avenida Filadélfia, ou por meio do Disque Denúncia (197).
Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.