Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A presidenta Dilma Rousseff e a ministra Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) inauguram neste sábado (7), em Palmas, a sede da Embrapa Pesca e Aquicultura.

Os investimentos do Governo Federal na construção da sede, na compra de equipamentos e em outras obras menores somaram pouco mais de R$ 50 milhões. Os recursos que financiaram a obra e o restante do projeto são integralmente provenientes do Orçamento da União, por meio do Ministério da Agricultura, ao qual a Embrapa é vinculada.

No evento, serão assinados diversos atos e convênios. Entre eles, o do Projeto Embrapa – BNDES Aquicultura, com investimentos de R$ 57 milhões, sendo 80% do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), 10% do Ministério da Agricultura e 10% da própria Embrapa.

O projeto tem como objetivo desenvolver ações estruturantes e inovação para o fortalecimento das cadeias produtivas da aquicultura no Brasil. Entre os principais desafios estão refinar tecnologias para a tilápia e o camarão marinho, gerar pacote tecnológico para o tambaqui e preencher lacunas de conhecimento para o bijupirá.

O projeto vai durar quatro anos e envolverá várias Unidades da Embrapa que trabalham com aquicultura, além de instituições parceiras Brasil afora.

Na mesma ocasião, também será apresentado o Plano Diretor para o Matopiba (região formada pelo Tocantins e partes do Maranhão, Piauí e da Bahia).

A Embrapa Pesca e Aquicultura

Criada em agosto de 2009, a Embrapa Pesca e Aquicultura desenvolve trabalhos em duas frentes. Uma delas, que reúne as temáticas de pesca e aquicultura, tem pesquisas em âmbito nacional. Regionalmente, na área do chamado Matopiba, trabalha com sistemas integrados e sustentáveis de produção agropecuária.

A construção da Unidade representa o cumprimento de uma meta do projeto “Revitalização e modernização da capacidade intelectual e da infraestrutura física da Embrapa”, constante no Programa de Fortalecimento e Crescimento da Embrapa (PAC Embrapa). Além do centro no Tocantins, foram criadas a Embrapa Agrossilvipastoril (Sinop, MT) e a Embrapa Cocais (São Luís, MA), com o intuito de ampliar os temas de pesquisa abordados pela Embrapa e ocupar os vazios institucionais, regiões estratégicas para a pesquisa agropecuária que não estavam sendo cobertas plenamente pelas demais Unidades.

Com a ocupação da sede própria, o centro poderá executar suas ações de pesquisa, desenvolvimento e inovação com eficiência muito superior àquela que permitem as condições atuais. Desde sua criação, a Embrapa Pesca e Aquicultura ocupava instalações alugadas na capital tocantinense.

A atual chefia da Unidade é formada por Carlos Magno Campos da Rocha (chefe-geral), Eric Routledge (chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento), Alexandre Freitas (chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia) e Rogério Sobreira (chefe-adjunto de Administração).

Tecnologias

Durante o evento de inauguração, a Embrapa Pesca e Aquicultura apresentará dois de seus trabalhos: a identificação genética de peixes, que envolve a marcação dos animais por dispositivos de identificação e de rastreamento e a coleta de material biológico para teste de DNA; e um protótipo de entreposto móvel de pescado, que foi desenvolvido em conjunto com as empresas Engmaq (de Peritiba-SC) e Piscis (de Jaguaribara-CE) e consiste numa estrutura, ainda em fase de avaliação, para processamento de peixes.

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.