O candidato à presidência do Sindicato dos Médicos no Estado do Tocantins (Simed-TO) pela chapa 2 “Responsabilidade Classista”, Hugo Magalhães, 34, cobrou que a gestão atual e a Comissão Eleitoral da entidade atuem de forma transparente, isenta e democrática na condução do processo. A crítica de Magalhães se refere ao fato de o Simed ter propagado aos profissionais do Estado que liberou a lista dos médicos solicitada pela chapa. Ele informa que a lista entregue pelo Simed estava incompleta,  o que impediu de a chapa obter todas as informações necessárias.

Em nota, Magalhães pediu que o Simed, em respeito à classe médica, “permita que a nossa profissão, a situação dos colegas médicos, suas condições de trabalho e direitos sejam o foco do debate democrático até o dia da votação, programado para 31 deste mês”.

Nota – Chapa 2 “Responsabilidade Classista”

Em relação à publicação feita pela gestão atual no site institucional do Simed intitulada “Duas chapas pedem registro para as eleições do SIMED-TO; lista de associados foi entregue no sábado às chapas”, a chapa 2 – “Responsabilidade Classista” vem a público esclarecer alguns pontos que julga necessários:

1 –A gestão atual não preza pela transparência e não informa corretamente a classe médica e a opinião pública ao propagar, no site institucional, que entregou a lista dos profissionais necessária para os trâmites burocráticos e, consequentemente, o registro da chapa.

2 – A referida lista entregue ao representante desta chapa, de oposição, na Comissão Eleitoral está incompleta e não condiz com o que foi solicitado e muito menos necessário para cumprir as exigências de registro da chapa.

3 – Diante de não ter atendido à solicitação desta chapa, o corpo jurídico do grupo foi obrigado a recorrer à Vara do Trabalho em Palmas em busca do direito de obter o material, completo, com todos os dados dos profissionais aptos a votar ou até mesmo participar do pleito.

4 – A solicitação desta chapa tanto foi necessária, bem como justificável, que o Judiciário, após ser provocado por nosso corpo jurídico, proferiu decisão na qual determinou a liberação da lista, com todos os dados necessários.

5 – É fundamental pontuar que desde o dia 25 de abril solicitamos à gestão atual e à Comissão Eleitoral a lista, que só foi disponibilizada após a reação de colegas desta chapa de demais apoiadores que se mobilizaram diante do fato da tentativa ilegal de vir a impedir o registro de nossa participação no pleito. Participação essa que foi resgatada por ordem Judicial, que corrigiu uma verdadeira injustiça que foi cometida pela gestão atual e a referida comissão contra esse grupo de profissionais.

6 – Ao expor esses esclarecimentos, a chapa 2 “Responsabilidade Classista” vem a público novamente solicitar que a gestão do Simed atue de forma isenta, transparente e democrática neste processo. Esta chapa espera não ser mais obrigada a recorrer ao Judiciário sobre fatos relacionados a este pleito e que a gestão atual do Simed permita que a nossa profissão, a situação dos colegas médicos, suas condições de trabalho e direitos sejam o foco do debate democrático até o dia da votação, programado para 31 deste mês.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.