Considerada a última fronteira agrícola do Brasil, formada pelos Estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, a região do Matopiba chega como um novo eixo econômico do país. O potencial dessa região foi destacado pelo governador Marcelo Miranda, na manhã desta quarta-feira, 13, no auditório do Tribunal de Justiça do Tocantins, em Palmas, durante o lançamento do Plano de Desenvolvimento Agropecuário do Matopiba, com a presença da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu.

“No momento em que o país passa por incertezas e cenários conservadores para o seu desenvolvimento, o Matopiba se propõe a debater e integrar um novo eixo econômico”, ressaltou o governador.

Para Marcelo Miranda, cabe a esta geração trabalhar por um futuro de desenvolvimento e transformar essa região na mais promissora e sólida fronteira agrícola do planeta. “O Tocantins é protagonista desse novo tempo de prosperidade e se orgulha de fazer parte dessa estratégia de integração dos estados coirmãos da Bahia, Piauí e Maranhão. O Matopiba é a porta para gerar competitividade com a utilização racional das nossas riquezas”, pontuou. “Estamos prontos e ávidos para colaborar, pois temos a convicção de que os caminhos da prosperidade passam pelas terras do Tocantins e de todo o Matopiba”, complementou.

 Plano de Desenvolvimento

Na ocasião, a ministra Kátia Abreu explicou que o Plano de Desenvolvimento Agropecuário do Matopiba está definido em três eixos estratégicos: infraestrutura, inovação e tecnologia e a ampliação da classe média rural dessa região.

Pontuando que o Matopiba chega para corrigir uma distorção, a ministra da Agricultura recordou da expansão agrícola na região Centro-Oeste, onde os governos não conseguiram acompanhar o crescimento da produção.

“Infelizmente, os governos não acompanharam os produtores rurais. Em termos de infraestrutura e logística, os produtores fizeram quase tudo com esforço próprio”, e acrescentou: “o Matopiba talvez seja a última fronteira agrícola do Brasil e do mundo onde o Governo vai ter a oportunidade de acompanhar o desenvolvimento de uma região e não deixar no abandono no que diz respeito à infraestrutura. Embora um pouco atrasado, porque já deu os primeiros passos. Estamos falando de estradas, ferrovia, hidrovia, armazenagem, energia, tudo aquilo que precisamos para desenvolver”, destacou.

Conforme Kátia Abreu, é preciso mudar o quadro econômico-social dos produtores rurais do país. “De todos os produtores rurais, temos apenas 27 mil que estão numa faixa com alta renda, são considerados ricos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Temos 472 mil produtores que são considerados faixa média, temos 991 mil que são considerados pobres, mas temos 2,9 milhões considerados muito pobres. Isso é um continente de pobreza e não de prosperidade. E vamos reverter essa história começando por aqui, pelo Matopiba”, enfatizou.

Participação

O lançamento do Plano de Desenvolvimento Agropecuário do Matopiba foi acompanhado por várias autoridades como o presidente do Tribunal de Justiça do Tocantins, Ronaldo Eurípedes; o presidente da Assembleia Legislativa, Osires Damaso; o senador Donizeti Nogueira; o prefeito de Palmas, Carlos Amastha;  prefeitos do interior; além de secretários de Estado; deputados federais e estaduais; produtores rurais; o presidente da Conab, Rubens Rodrigues dos Santos e o presidente da Embrapa, Maurício Lopes.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.