Marcelo Miranda

Ministério Público pediu que o Tribunal Superior Eleitoral a rejeição dos embargos de declaração pedidos pela defesa do governador Marcelo Miranda (MDB) no processo que levou a cassação dele e sua Vice-governadora Cláudia Lelis (PV).

Por meio de uma Liminar concedida pelo Ministro do STF Gilmar Mendes, Marcelo Miranda retornou ao cargo, mas o processo, que investiga a campanha dele em 2014, segue em andamento no TSE. A defesa queria que os ministros esclarecessem pontos contraditórios da sentença, mas o MP diz que o governador tenta um ‘rejulgamento’ do caso e tenta desqualificar provas.

Para a promotoria, a sentença é sólida e não há vícios no acórdão. A Justiça Eleitoral intimou o governador e a coligação dele a apresentar contra-argumentos até a quarta-feira, 11.

O processo, que analisa caixa dois durante a campanha de 2014, começou em 2015 após uma aeronave ser apreendida com R$ 500 mil em Goiás com santinhos do então candidato, o irmão de Marcelo Miranda aparece em imagens de um hotel em Goiás supostamente pagando as despesas dos portadores do dinheiro e que foram presos em Piracanjuba-GO.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.