Após a notícia da concessão de Liminar pelo Ministro Gilmar Mendes, do STF, que determinou o retorno de Marcelo Miranda ao governo do Tocantins, até o julgamento de Embargos Declaratórios, o governador interino Mauro Carlesse (PHS) fez uma reunião na tarde desta sexta-feira, 6,  para apresentar um balanço dos sete dias que ficou no cargo.

Durante o encontro com secretários e imprensa, Carlesse afirmou que aguarda ser notificado pela Justiça Eleitoral para deixar o cargo. O governador anunciou também que vai antecipar para esta sexta-feira, 7, os salários de 60% da folha de pagamento do Executivo.

Mauro Carlesse disse que todas as indicações foram técnicas, pessoas que tem capacidade para assumir cada pasta e lamentou pelo estado se encontrar em uma situação totalmente desordenada. “Espero que os que voltarem aprendam com pelo menos com o pouco que fizemos em seis dias, nunca fomos perseguidores, não queremos isso,” disse.

O governador disse ainda que o Estado não tem dono, o Estado  do povo. “Precisamos ter o compromisso e o Estado não tem dono, o estado é do povo, esses costumes antigos usam o estado para se eleger a qualquer preço”, afirmou.

Carlesse agradeceu a todos os secretários e disse que o governo teve um período curto mais com muita coisa realizada. “Vamos continuar, eu, como presidente da Assembleia Legislativa, junto com os deputados que trabalham pela melhoria do Estado.

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.