O Ministério Público Estadual (MPE) apresentou à população de Brejinho de Nazaré e Oliveira de Fátima o relatório das vistorias realizadas nas escolas públicas estaduais e municipais das duas cidades. Diversas irregularidades foram encontradas nas unidades de ensino, as quais comprometem a qualidade da educação naquelas comunidades.

As vistorias do MPE demandadas pelo Promotor de Justiça Abel Andrade Leal Júnior e contaram com o suporte do Caopij – Centro de Apoio Operacional às Promotorias da Infância e Juventude. Ao longo de uma semana, os técnicos do Ministério Público visitaram sete escolas, sendo quatro municipais e três estaduais.

Alguns casos chamaram a atenção pelas péssimas condições da estrutura, como a Escola Estadual Riachuelo, em Oliveira de Fátima. A unidade de ensino foi construída há mais de 40 anos, e, apesar de reformas e adaptações, ainda possui uma estrutura física comprometida e apresenta risco de desabamento. Telhados danificados, ausência de forro nas salas de aulas, portas quebradas e sanitários danificados são algumas das irregularidades apontadas pelo MPE. Além dessas inadequações, a merenda escolar servida nos últimos 20 dias só foi viabilizada com o apoio do município e da comunidade escolar.

As escolas estaduais foram as que apresentaram mais comprometimentos na infraestrutura, porém as unidades municipais também necessitam de melhorias. Entre as irregularidades estão salas sujas, com quadros pequenos, instalações elétricas insatisfatórias, falta de espaços adequados para servidores, prédios em desacordo com as normas de acessibilidade, bibliotecas precárias, com acervo reduzido e desatualizado e armazenamento inadequado de alimentos.

Escolas vistoriadas

Brejinho de Nazaré

Colégio Estadual Padrão

Escola Estadual Jonas P. Lima

CMEI Laurinda Aires da Silva

Escola Municipal Malhadinha (zona rural)

Escola Municipal Vanda Ferreira da Cunha

Oliveira de Fátima

Escola Municipal Silvino Mascarenhas Reis

Escola Estadual Riachuelo

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.