A OAB-TO (Ordem dos Advogados do Brasil no Tocantins) promove, na próxima terça-feira, 12 de abril, a partir das 18h30, para debater o conteúdo da Medida Provisória n.º 6, editada pelo prefeito Carlos Amastha, e transformada em lei pela Câmara Municipal. A MP proíbe qualquer discussão sobre gênero nas escolas municipais de Palmas e cancela a distribuição de material escolar produzido pelo Ministério da Educação sobre o tema. A audiência ocorre no auditório da OAB, em Palmas.

Além de entidades sociais e entidades da sociedade civil organizada, a OAB convidou os presidentes ou titulares de diversos órgãos públicos, como da Câmara Municipal, MPE (Ministério Público Estadual), Secretaria Estadual da Cidadania e Justiça, Secretaria Estadual da Educação, Prefeitura de Palmas, Secretaria Municipal da Educação de Palmas, Conselho Municipal da Educação, Sintet (Sindicato dos Trabalhadores na Educação do Tocantins), Unitins, Defensoria Pública, governo do Estado e Universidade Federal do Tocantins.

A audiência pública é aberta a todos e qualquer pessoa ou instituição pode participar do evento. A audiência é organizada em conjunta pelas comissões de Direitos Humanos, Diversidade Sexual, Estudos Constitucionais, Criança e Adolescente e Proteção e Defesa da Mulher.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.