Leonardo Silva Madruga, irmão do prefeito de Wanderlândia, Eduardo Silva Madruga, é o principal suspeito de matar João Batista Alves Carneiro, de 35 anos. Ele prestava serviço como gestor de convênio para a prefeitura da cidade e foi morto a tiros. O corpo foi encontrado no povoado Floresta, na última sexta-feira, 23.

“O Leonardo é autor confesso. Ele foi até a delegacia. A motivação que ele apresentou foi uma possível relação que a vítima poderia ter com sua sobrinha [sobrinha de Leonardo] e filha do prefeito. Esses são os primeiros fatos que nós temos de concreto. A partir de agora a gente vai investigar para saber se isso realmente é verdade. Outras coisas podem acontecer”, diz o delegado responsável pelo caso, Bruno Boaventura.

Leonardo não foi preso porque o período de flagrante já passou e durante as investigações seguirá em liberdade.

O advogado de Leornado, Paulo Roberto, disse que aguarda ter acesso ao inquérito policial para se posicionar.

Entenda

João Batista Alves Carneiro, de 35 anos, foi morto a tiros no povoado Floresta, na zona rural do município de Wanderlândia, região norte do estado. O crime aconteceu na tarde da última sexta-feira (23), por volta das 17h. Segundo a delegada Sarah Lilian de Souza Rezende, ele era funcionário da prefeitura da cidade.

Segundo informou a delegada no último sábado (24), Carneiro era de Araguaína e foi levado até o local do crime por uma pessoa conhecida. Na ocasião havia duas linhas de investigação. “Tanto passional quanto acerto de contas, em questão de dívidas. Nós acreditamos que ele foi levado ao local para ser morto.”

De acordo com a Polícia Militar, testemunhas disseram que ouviram três disparos e ao olhar para o local, viram quando um carro saiu em alta velocidade. Carneiro morreu no local. O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal de Araguaína. (G1)

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.