Na tarde deste domingo, 11, durante a aplicação da prova do concurso da Polícia Militar que seleciona soldados e oficiais para a corporação, foram registradas algumas ocorrências. Até celular no banheiro foi encontrado.

Em Arraias, no sudeste do Tocantins, foi identificado um envelope de provas avariado durante a vistoria feita por candidatos momentos antes da entrega da prova. O presidente da Comissão do Concurso, coronel Marcelo Falcão, explica que o envelope estava avariado, mas não o lacre.

“Foi uma avaria em uma parte do envelope que não compromete a segurança. Tudo indica que foi ocasionado pelo transporte, provavelmente a fricção do envelope com o malote pode ter ocasionado”, afirmou o coronel, reforçando que o envelope em questão foi recolhido e será periciado. “No mesmo momento foi disponibilizado um novo envelope de provas com provas totalmente diferente do original, devidamente testemunhado pelos candidatos e distribuído na sala que foi encontrado o envelope avariado”, disse.

Araguaína

Já em Araguaína, no Norte do Tocantins, foi encontrado um celular no banheiro masculino de um dos locais de prova. O coronel afirmou que não há nenhuma indicação de que o aparelho tenha sido utilizado para fraude no concurso. Questionado sobre a informação de que haveriam respostas de um suposto gabarito da prova, Soares afirmou se tratar de fake news. “Isso é uma suspeita que alguém levantou, mas que não foi confirmado. O celular será periciado e, após a perícia, será divulgado o que realmente continha nesse celular”, destacou.

Outras ocorrências

O Coronel Marcelo Falcão disse ainda que em torno de 12 candidatos, em várias parte sdo Estado, foram desclassificados instantaneamente porque o aparelho celular tocou durante a prova. “Quando o candidato entra na sala, ele recebe um envelope para guardar os pertences, incluindo o celular. Mesmo assim, se o celular tocar, ocorre a desclassificação imediata porque o aparelho deve estar desligado”, orientou.

Para o presidente da comissão, a quantidade de ocorrências no período da tarde diante à ausência de ocorrências na manhã, se deu devido à quantidade de candidatos. “A tarde tivemos 76 mil candidatos e de manhã foi em torno de nove mil, então a diferença é muito grande. De manhã foi só em cinco cidades, e de tarde foram em 17. A comissão do concurso e a empresa organizadora entende que são ocorrências normais de qualquer processo seletivo”, afirmou deixando claro que nenhuma das ocorrências atinge a lisura do concurso.

Próximas fases

O certame concluiu ontem sua primeira fase, agora terá mais quatro pela frente: Teste de Avaliação Física (TAF), Teste Psicotécnico, Teste Clínico e, por último, a Investigação Social. O gabarito preliminar sai nesta segunda-feira, 12, e o definitivo está previsto para sair em até dez dias. A expectativa é que o TAF seja realizado em, no máximo, trinta dias.(JTO)

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.