Os crimes teriam acontecido entre os anos de 2013 e 2015

Após Ação Penal ajuizada pelo Ministério Público Estadual (MPE), a Justiça condenou a mais de 15 anos de prisão o delegado Manoel Laeldo dos Santos Nascimento, pelos crimes de corrupção passiva, ocultação de capitais e associação criminosa. O delegado, que estava afastado do cargo desde setembro de 2016, também perdeu a função pública que exercia.

A sentença, proferida nesta quarta-feira, 7, também condena Jânio Espíndula Gomes, servidor público da prefeitura de Araguaína e parceiro do delegado, a perda do cargo público e pena de 8 anos e 4 meses de prisão, pelos crimes de corrupção passiva, ocultação de capitais e associação criminosa. O agente de Polícia Raimundo Dias de Araújo e a estudante Fernanda Julião também foram condenados a mais de 5 e 7 anos, respectivamente,

Os crimes teriam acontecido entre os anos de 2013 e 2015. Segundo a sentença, a quadrilha liderada pelo delegado Manoel Laeldo teria extorquido cerca de R$ 80 mil reais dos familiares de Wagner Carlos Santana Milhomem, vítima de homicídio em Araguaína. O delegado alegava não ter recursos para as investigações e se aproveitava da função pública exercida para receber vantagem indevida.

O caso vinha sendo acompanhado pelos Promotores de Justiça criminais da comarca de Araguaína.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.