Os bancos da Amazônia e Banpará foram atacados simultaneamente em Eldorado do Carajás.

O Departamento de Furto e Roubo a Banco da Polícia Civil do Pará, com apoio de homens do Grupamento Aéreo da Polícia Militar (Graer), segue na caçada aos sete assaltantes que atacaram, na madrugada da última quinta-feira 10, de forma simultânea, as agências dos bancos da Amazônia e Banpará em Eldorado do Carajás. Até esta sexta-feira 11, os bancos não tinham divulgado o valor exato levado pelos bandidos. O Banco da Amazônia informou, preliminarmente, que ao menos R$ 45 mil foram levados dos caixas eletrônicos.

A ação dos criminosos começou pela madrugada, por volta de 3 horas. Primeiro eles roubaram um caminhão carregado com colchões que estava estacionado em um posto de combustíveis, às margens da Rodovia BR 155, no centro da cidade. Uma parte do bando rendeu o motorista, Bruno Wersley, levou o veiculo e estacionou em cima da ponte sobre o Rio Vermelho, na PA-275, que é a via de acesso para as cidades de Curionópolis e Parauapebas.

O bloqueio foi estratégico para atrasar a ação da Polícia Militar, já que o quartel de Eldorado fica do outro lado da ponte, assim também como o reforço policial vindo de Curionópolis e Parauapebas, municípios mais próximos da cidade. Enquanto isso, o outro grupo agia, bloqueando os acessos à Rua Jacarandá, onde ficam as duas agências. Segundo uma moradora, que não quis se identificar, eles iniciaram o ataque às agências exatamente às 3h39.

O primeiro ataque foi contra o Banco da Amazônia. Primeiro os bandidos quebraram os vidros à bala, renderam os vigias e começaram a instalar os explosivos. “Escutei quando um deles falou bomba um e, em seguida, a explosão, seguida de outras três”, relata a moradora. O impacto das explosões danificou a parede de uma construção ao lado da agência. Enquanto uma parte dos homens recolhia o dinheiro dos três caixas eletrônicos detonados no Banco da Amazônia, os outros bandidos atacavam a agência do Banpará. Eles também quebraram o vidro lateral da agência, na área de acesso aos caixas eletrônicos, à bala.

O grupo tentou explodir os cinco terminais do banco, mas desistiu e preferiu arrombar o cofre, também quebrando o vidro de acesso à parte interna da agência à bala. Os bandidos, que estavam em dois veículos, sendo uma camionete – ainda não identificada – e um Volkswagen Golf, de cor branca e placas OFJ-7974, de Araguaína (TO). Na fuga, eles levaram como refém um dos vigilantes do Banpará e seguiram pela BR-155, entrando por uma vicinal localizada na Curva do “S”, ainda em Eldorado do Carajás. A vicinal dá acesso aos municípios de Piçarra e São Geraldo do Araguaia.

Antes de entrar na pista de terra, os bandidos abandonaram o vigilante e também o veículo Golf. Devido ao bloqueio da PA-275, a Polícia Militar só conseguiu chegar às agências por volta de 5 horas, segundo testemunhas. De acordo com o delegado José Euclides Aquino, todas as informações estão sendo apuradas, inclusive a possibilidade da participação de mais pessoas no assalto. Também está sendo averiguado se os bandidos fugiram realmente pela vicinal, ou abandonaram o veículo lá como estratégia, para atrapalhar a ação da polícia, e seguiram por outra rota. “Tudo isso está sendo apurado”, ressalta.

O delegado informa que o Golf usado pelos assaltantes foi roubado na semana passada em Marabá. Aquino não acredita que os bandidos que atacaram as agências bancárias de Eldorado tenham ligação com outras quadrilhas que estão agindo no Estado.

SAIBA MAIS

Apenas na semana passada, foram realizados dois assaltos e uma tentativa de furto a bancos no Estado do Pará. Bandidos assaltaram as agências do Banco do Brasil de Bom Jesus do Tocantins e do Banpará, em Moju. Em Parauapebas, bandidos tentaram roubar a agência do Itaú, mas o alarme disparou e eles fugiram sem levar nada.

População ficou em pânico com os ataques

O ataque simultâneo às agências bancárias levou pânico à população de Eldorado do Carajás. Vizinhos das agências estão apavorados. Segundo uma comerciante, que acompanhou toda a movimentação dos criminosos e por isso não quis se identificar, esse é o quarto assalto que presencia em seis anos que mora na Rua Jacarandá.

“Cada vez eles [assalto] ficam mais violentos. Dessa vez, pensei que as explosões iam quebrar os vidros da minha loja”, conta. Quem também estava apavorado era o motorista e filho do dono do caminhão usado pelos bandidos para bloquear a PA-275.  Bruno Wesley disse que o prejuízo que ele e seu pai tiveram foi de mais de R$ 100 mil, somados a carga de colchões e o caminhão. “Não sabemos como fazer”, lamentava.

Outro que pensa em pedir transferência e ir embora da cidade é um funcionário do Banco da Amazônia. Ele conta que ainda esta semana ia pedir licença, pelo abalo psicológico, e depois sua transferência para outra agência. “Esse é o segundo assalto que passo aqui em Eldorado. É apavorante”, desabafa, pedindo para não ter a identidade revelada. (Tina Santos)

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.