Em um mês com o sistema operacional em atividade no município de Araguaína, o frigorífico Friboi, do grupo JBS, abateu 16.800 cabeças de gado. A média diária é de 560 animais, informa a direção de comunicação do grupo. A capacidade da empresa de abate é de 700 animais por dia. Apesar de não ter alcançado a capacidade anunciada no dia da inauguração, em 28 de fevereiro, os números movimentaram o mercado de gado e elevam a perspectiva econômica de pecuaristas da região norte tocantinense, considerada referência no ramo agropecuário.

O pecuarista Paulo Rodrigues, no ramo há quase 10 anos, afirma que a Friboi trouxe boas perspectivas de crescimento do setor com o frigorífico. “O que podemos afirmar com certeza é que com a Friboi na cidade outras empresas irão se interessar em vir para o Tocantins. Com isso, teremos mais investimento e a economia aquecida. O ponto alto desse acontecimento são os empregos que estão sendo gerados na cidade”, declara o pecuarista.

O presidente Rodrigo Guerra, da Cooperativa de Araguaína, que hoje conta com 489 associados, sendo 30% da agricultura familiar e 70% de produtores e pecuaristas, também defende o avanço da economia da região com o funcionamento da Friboi. ” O funcionamento do frigorífico na cidade é de extrema relevância, pois agrega valor ao principal produto da região que é o boi”, declarou.

Segundo ele, não houve alteração no preço. “O nosso preço continua o mesmo e está satisfatório, já que caminhamos segundo o custo de produção limite, com a demanda no mercado. Vai melhorar ainda mais as exportações, já que estávamos tendo um “apagão” de boi gordo. A empresa é uma oportunidade de oferecermos nossos produtos de qualidade, mais um concorrente entre tantos frigoríficos. Estamos caminhando futuramente para ser um grande polo industrial do boi gordo”, avalia o presidente da cooperativa.

EMPREGOS

Inicialmente a unidade da Friboi gerou 500 empregos diretos. Com a expansão prometida pela empresa, a meta é somar 3 mil vagas de trabalho diretas e indiretas.

O prédio onde está instalado o frigorífico da Friboi pertencia ao grupo Bertim, que fechou as portas em 2007. O Grupo JBS comprou o Bertim em 2009. Com investimento de R$ 25 milhões, a nova unidade gerou 500 empregos diretos com visão para ampliar a produção para gerar mais de 3 mil empregos indiretos, além de uma posição estratégica para atender a demanda dos Estados das regiões Norte e Nordeste do país.

Durante a inauguração da unidade, em 28 de fevereiro, o executivo Renato Costa, presidente da divisão de carne bovina da companhia, afirmou que a pecuária do Tocantins é uma das mais modernas do país e está em expansão.

“O Tocantins conta hoje com um rebanho de mais de oito milhões de cabeças de gado com uma genética de primeira linha e um grande potencial alimentício para que sejam criados animais de qualidade”, afirmou.

Ele também elencou alguns motivos que levaram a empresa a apostar no Tocantins: “Com uma privilegiada logística da região, e excelente estrutura de rodovias e ferrovias, a unidade de Araguaína também abastecerá parte da demanda do mercado externo, atendendo países da América do Sul, África, Oriente Médio, Europa, entre outros. O Estado é o local ideal para que pecuaristas possam produzir a matéria-prima deles com qualidade”.  (Norte Agropecuário)

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.