No centro que é o segundo a ser implantado no Brasil, serão monitorados em tempo real os indicadores de saúde, como taxa de mortalidade por violência

O Governo, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, em parceria com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), está trabalhando nos últimos detalhes da implantação do Integra Saúde, um espaço que vai funcionar dentro da sede da pasta, concentrando informações estratégicas para a gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) no Tocantins.

Neste centro, que é o segundo a ser implantado no Brasil, serão monitorados em tempo real os indicadores de saúde, como taxa de mortalidade por violência; doenças crônicas; casos de dengue, zika, chikungunya, leishmaniose; doenças transmissíveis; inspeções da vigilância sanitária; leitos de hospitais; entre outros. As informações serão coletadas, tratadas, analisadas, disponibilizadas e servirão de subsídio para que técnicos possam coordenar, com mais precisão, a ações da Secretaria.

Segundo o secretário Marcos Musafir, o Integra Saúde chega ao Tocantins por determinação do governador Marcelo Miranda e visa dar ainda mais transparência aos dados e às ações da Saúde. “Também vai possibilitar mais efetividade e celeridade na tomada de decisões e o fortalecimento das ações. Sem informação, não há gestão e teremos uma ferramenta que vai permitir apoiar os gestores municipais e ter acompanhamento e controle sobre tudo o que diz respeito à saúde pública no Tocantins”, afirmou.

Para a diretora da Hemorrede do Tocantins, Poliana Gomes, a concentração e o compartilhamento desses dados vão contribuir para que sejam evitados alguns desencontros de informações. “Nas situações em que é necessário o uso de mais bolsas de sangue, como na ocasião de muitas cirurgias simultaneamente, podemos saber dessa necessidade em tempo real, falar com determinado município por meio do Integra e termos tempo hábil para providenciar as bolsas necessárias. A partir do Integra Saúde, acredito que teremos uma universalização de informações e, com isso, o atendimento a todas as demandas dentro do prazo previsto”, disse.

A superintendente de Vigilância, Promoção e Proteção à Saúde, Liliana Fava, destacou que a participação dos municípios será de extrema importância, uma vez que figuram como maiores produtores de dados. “Os municípios e as áreas técnicas produzirão os dados que serão analisados pelas nossas equipes e que irão compor os 17 painéis da sala do Integra”, enfatizou.

 

Integra Saúde

A ideia foi inspirada no centro de informações do Estado de Goiás, onde técnicos do Tocantins estiveram coletando informações e trocando experiências para conseguir tornar esse projeto uma realidade no Estado. Desta forma, esse centro de planejamento estratégico será o segundo instalado em todo o Brasil.

Integra Saúde vai possibilitar ainda a realização de webconferências com os 139 municípios, agilidade nos atendimentos, produção de mapa da saúde, planilha de indicadores georreferenciados, fortalecimento e modernização da gestão por governança.

“Com informações mais seguras e fidedignas, promoção, proteção, atenção humanizada e recuperação da saúde da população tocantinense serão mais efetivas e eficazes”, lembrou o secretário Marcos Musafir.

 

Custos

 

Integra no Tocantins foi totalmente financiado pela OPAS, que viabilizou toda infraestrutura e, em troca, seus técnicos também utilizarão o local.

 

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.