Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A Prefeitura de Palmas publicou no Diário Oficial do Município desta última segunda-feira, 15, o extrato do contrato de venda de dois lotes na área industrial ASRSE 15 (1012 Sul), totalizando 1.950 m², para a JP Arquitetura e Construções Ltda ao preço de R$ 9,00 o metro quadrado. Os lotes de números 10 e 11 situados na alameda 13 possuem 975 m² cada um.

Os dois lotes foram vendidos em parcela única totalizando R$ 17.550,00 na modalidade inexigibilidade de licitação e teriam avaliação de mercado de até R$ 975.000,00.

O Conexão Tocantins consultou algumas imobiliárias para saber o valor médio de mercado do metro quadrado na área. Os profissionais da área demonstraram surpresa com o valor cobrado pela Prefeitura de Palmas na venda dos dois imóveis.

Um dono de uma imobiliária que não será identificado pelo Conexão Tocantins chegou a dizer que se encontrasse preços iguais ao vendido pelo município, compraria todos os lotes da área, “compraria todos se achasse neste valor”, enfatizou. De acordo com ele, o valor aproximado do metro quadrado no Distrito Industrial da Capital é de R$ 500,00.

Outro corretor de imobiliária entrevistado pelo Conexão Tocantins levantou suspeita sobre a negociação. Indagado se R$ 9,00 estaria abaixo do valor de mercado ele disse: Com certeza. Tem alguma coisa errada! Para você ter noção, mesmo em Taquari (setor na periferia de Palmas), há dois anos, um homem vendeu um lote comercial a mais de R$ 100,00 o metro quadrado”, frisou. O profissional explicou que, dentro de uma quadra, há variação no valor dos imóveis, no entanto, segundo ele, o valor médio do metro quadrado na ASRSE 105 varia de R$ 300,00 a R$ 500,00. “Depende da localização, de uma série de fatores”, concluiu

JP Arquitetura

Segundo o proprietário da JP Arquitetura, João Paulo Tavares Brito, disse que não saber da publicação da venda no Diário Oficial e que irá tomar ciência. “Preciso tomar pé! Não sabia se tinha andado esse processo. É um processo velho. Não tinha conhecimento de que o processo tinha sido já publicado”, afirmou.

João Paulo adiantou que a área comprada é “uma área, uma estrutura onde a gente desenvolve peças pré-moldadas utilizadas na própria construção e que também serve para deposito de material de construção da empresa”, informou.

De acordo com o proprietário da JP, quem dá o preço é a Prefeitura de Palmas. “O valor vou ver o que que é. Existe uma base legal, não sou eu que dá o preço, quem dá é a prefeitura”, disse. (Conexão Tocantins)

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.