Por volta 00h00 desta quarta-feira,03, a Polícia Militar apresentou na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil em Valdivino Soares da Silva, 45 anos, Leandro Armelino Cabral Silva, 24, (motoristas), Antônio José Silva do Carmo, 42, (dono da carga) e Claudenor de Almeida Silva, (proprietário da área onde o minério era estocado).

Os acusados receberam voz de prisão em uma abordagem da PM por não apresentarem a documentação de exploração e guia de autorização de transporte de minério manganês. A prisão e apresentação foram realizadas pela GU-1954, composta pelo cabo PM Nogueira e soldado PM Wanderson, com apoio do sargento PM Mendes e cabo PM Barbosa.

De acordo com o policial Nogueira, esse tipo de prática de transporte de minério irregular na região vem ocorrendo frequentemente por pessoas que querem enriquecer ilicitamente. “Nós abordamos dois caminhões nas proximidades da Palmares Sul, e na revista realizadas nos mesmos, pedimos a documentação necessária dos veículos e dos condutores, eles apresentaram a documentação dos caminhões e CNH deles, porém não apresentaram a autorização de transporte do minério que estavam transportando. Então solicitamos apoio ao oficial do dia e escoltamos os veículos até a delegacia para que fosse feita as medidas cabíveis”, ressaltou.

Ainda segundo o policial, sua guarnição está cumprindo uma determinação do coronel PM Queiroz e subcomandante PM Alan para que ficassem atentos aos crimes praticado por pessoas ao meio ambiente como transporte ilegal de madeira, minério e qualquer outro tipo de exploração irregular, “Eles como representantes da lei não concordam com esse tipo de pessoa que age na ilegalidade”, lembrou o PM.

Nogueira afirmou ainda que o minério é oriundo da Vila União e passava por Parauapebas com destino a cidade de Curionópolis, onde era armazenado e em seguida conduzido por uma transportadora com nota fria para o Estado Minas Gerais. Entretanto, de acordo com o PM, na abordagem os mesmos teriam dito que haviam recebido o material em uma dívida. O policial ressaltou ainda que a Polícia Militar e Polícia Civil estão fazendo seu papel na tentativa de sanar a pratica desse crime na região, que também está sendo monitorado pela Polícia Federal.

Além dos quatro homens, a polícia apresentou também os dois caminhões carregados de manganês.

A reportagem tentou conversar com os acusados, porém os mesmos não quiseram falar sobre suas prisões.(Pebinha de Açucar)

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.