Edmundo Galdino

O ex-deputado federal Edmundo Galdino veio a público para desafiar o senador Vicentinho Alves a comparar a gestão da saúde de Palmas com a de Araguaína. Nesta segunda-feira, dia 15, a TV Globo, em rede nacional, mostrou com destaque o caso da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Araguaína, abandonada e o prédio sendo danificado. A obra, finalizada há cinco anos, nunca funcionou. E mais: custou R$ 2 milhões, informou a TV Globo no “Bom Dia Brasil”.

“Seria bom que o senador Vicentinho viesse a público, como eu agora, e fizesse comparação da situação da UPA de Araguaína, nesse estado de abandono, com as UPAs e todas as unidades de saúde de Palmas. Aproveite, senador e tente explicar: cinco anos da obra finalizada e está fechada!”, declarou Galdino.

Vicentinho é aliado de Ronaldo Dimas, prefeito de Araguaína, gestor que não conseguiu pôr para funcionar a UPA mostrada na Rede Globo de Televisão. Recentemente, o senador chegou a fazer comparações entre os gestores de Palmas e Araguaína.

Ainda conforme a reportagem da TV, em nível nacional, moradores de Araguaína criticaram  o fato e falaram da frustração da situação do atendimento da saúde no local. Já a Rede Globo informou que o não funcionamento das unidades é falta de planejamento de gestão, já que o governo federal libera o dinheiro e os municípios não conseguem colocar para funcionar as UPAs. Na reportagem, até mesmo o ministro da Saúde, Ricardo Barros, admitiu que faltou planejamento por parte de alguns prefeitos já que as UPAs são solicitadas pelos municípios. “Isso é falta de gestão, de planejamento”, disse Galdino.

Na outra UPA da cidade, outra cena chamou a atenção e repercutiu na imprensa. Vítimas de acidente de trânsito tiveram de ser socorridos na carroceria de camionete e não foram atendidos na Unidade de Pronto Atendimento no setor Araguaína Sul. Eles foram encaminhados ao Hospital Regional.

Ao analisar a saúde de Palmas, Galdino disse: “Amastha, com sua equipe, transformou a realidade da capital. Tratou a saúde como prioridade. Os resultados estão aí, não sou eu quem digo. Os rankings atestam o que estou falando”.

Desde o início de sua primeira gestão, em 2013, Amastha inaugurou 19 unidades de saúde. “Ao assumir a prefeitura, ele encontrou as unidades funcionando em casas alugadas e com estrutura não adequada. A UPA Sul era um desastre. Amastha reformou e construiu a UPA Norte, unidade moderna, que presta atendimento de referência em Palmas. É só ir lá e verificar”, comentou.

Galdino também citou ranking divulgado pela revista Exame, por exemplo, que apontou Palmas como a terceira melhor gestão de saúde entre todos os municípios brasileiros. Palmas aliás, está no topo do ranking, na quinta posição com índice de 3,678 numa escala de 0 a 9 pontos, à frente de outras capitais como Porto Alegre (7º com 3,643), Florianópolis (9º com 3,590) e Rio de Janeiro (10º com 3,553).

A capital também alcançou 100% de cobertura na Atenção Básica e 86% de cobertura em Saúde Bucal, o que elevou a capacidade de ofertas de consultas médicas de 282 mil consultas/ano para 524 mil consultas/ano, comparando 2015 a 2016.

Ele lembrou também que o Ambulatório Municipal de Atenção à Saúde Dr. Eduardo Medrado (Amas), inaugurado em junho, que já realizou 21 mil atendimentos, desses, 15 mil consultas com especialistas e 1.500 pequenas cirurgias, desafogando ainda a fila de espera no Hospital Geral de Palmas. “Isso, sim, é gestão. Não é politicagem”, finalizou.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.