Policiais Civis da Delegacia Fazendária de Araguaína, comandados pelo delegado José Rérisson Macedo Gomes, prenderam, na manhã da última quinta-feira, 28, Bruno de Souza Chagas, 24 anos de idade. O indivíduo é suspeito de envolvimento no crime de latrocínio o qual vitimou o professor Cleurismar Barbosa Souza, fato ocorrido na noite do dia 25 de novembro de 2016 e foi preso, mediante cumprimento de mandado de prisão temporária, no Hospital Regional daquela cidade, onde se encontra internado.

Conforme o delegado, após algum tempo de investigação, os policiais civis da Delegacia Fazendária identificaram Bruno e Fernando Henrique Dias, vulgo “Fernandinho Beira Mar”, o qual se encontra foragido, como sendo os autores do latrocínio praticado na residência do professor Cleurismar e que resultou na morte do mesmo.

“A partir de informações levantadas por nossas equipes de investigadores, conseguimos desvendar a autoria do latrocínio e, desta maneira, representamos, junto ao Poder Judiciário, por mandados de busca e apreensão na residência de Bruno e Fernando, bem como mandados de prisão temporária em desfavor dos mesmos”, ressaltou o delegado.

Na casa em que Bruno residia com sua esposa de nome Allina, a qual foi morta há alguns dias no centro de Araguaína, os agentes encontraram vários objetos pertencentes ao professor assassinado e sua esposa, bem como uma motocicleta CG TITAN, de cor vermelha, 160cc, a qual era utilizada para a prática de crimes por Bruno, Allina e Fernando.

Bruno continua internado no HRA, sob escolta policial, onde se recupera dos ferimentos que sofreu, após ter sido alvejado por disparos de arma de fogo, quando estava em uma motocicleta, acompanhado por sua esposa Allina, a qual veio a óbito no local. As investigações foram intensificadas pela Polícia Civil com a finalidade de localizar e prender o mais rapidamente possível, Fernando Henrique Dias, que de acordo com a Polícia Civil, foi o autor do disparo que tirou a vida do professor Cleurismar.

Qualquer informação que possa levar a prisão de Fernando pode ser repassada para a Delegacia de Polícia Fazendária, através do telefone (63) 3411. 7350 ou então, pelo telefone 190 da Polícia Militar. Ainda segundo apontam às investigações da Delegacia Fazendária, Bruno, Fernando e Allina integravam uma quadrilha suspeita de praticar vários furtos e roubos em Araguaína, nos últimos meses.

O delegado Rérisson faz um balanço positivo das ações realizadas pela Polícia Civil, na cidade de Araguaína em 2016, as quais resultaram na elucidação da vários crimes de grande repercussão e afirma que novas ações estão em curso, com a finalidade de capturar mais pessoas suspeitas de práticas criminosas.

“Acho que estamos encerrando o ano com saldo positivo e com a consciência do dever cumprido, uma vez que vários suspeitos pela prática de crimes diversos já estão atrás das grades”, ressaltou. O delegado também destacou que as ações da Polícia Civil visam, sobretudo, trazer de volta a sensação de segurança que a população  tanta clama e que para que isso aconteça, a Polícia Civil não tem medido esforços para desvendar e trazer a justiça todos os indivíduos, que sejam autores de delitos.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.