Em todo o Tocantins o primeiro mês de 2017 foi marcado por muita violência e sucessivos casos de assaltos, furtos e homicídios de Norte a Sul do Estado. Com um reduzido contingente de policiais civis para dar andamento aos inquéritos de crimes, que resultam na dificuldade de concluir casos antigos já em andamento, tem contribuído para o aumento da criminalidade e para o grande número de ocorrências registradas logo em janeiro.

Já no início deste ano, um homem, identificado como Silvino Manoel dos Santos, foi assassinado a facadas dentro de um hospital em Xambioá, norte do Tocantins.  De acordo com a Polícia Militar (PM), Silvino foi internado após se envolver em uma briga e ter matado Cláudio Adão dos Santos, de 39 anos, em Araguanã, cidade localizada também naquela região. E por vingança, um parente de Cláudio teria ido até à unidade de saúde e matado Silvino.

O suspeito foi identificado como Pedro Oliveira, de 43 anos, que confessou o crime à polícia. O caso, segundo a Secretaria de Segurança Pública, está sendo investigado pela delegacia de Xambioá.

Também no norte do Estado, em Araguaína, município localizado a 400 quilômetros de Palmas, três homicídios foram registrados em única noite neste mês de janeiro. Os corpos foram encontrados em estrada vicinal conhecida como Jacubinha. As vítimas são Gildekson da Silva Guimarães, de 27 anos, João Lucas Azevedo, de 18 anos, e Cristiane de Oliveira Assunção, de 15 anos.

A PM informou que os jovens trafegavam em uma mesma motocicleta, quando foram atingidos pelos disparos de arma de fogo. Todos morreram ainda no local. De acordo com a SSP a investigação do caso está por conta da 3ª Delegacia de Polícia de Araguaína.

Roubos

Também neste ano, conforme informações do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos do Estado (Sintect/TO) foram registrados três assaltos em agências dos Correios no Tocantins nas cidades de Filadélfia, Muricilândia e Carrasco Bonito.

Segundo a polícia, os bandidos entraram armados nas agências e renderam funcionários e clientes. Em Carrasco Bonito, dois bandidos armados renderam as pessoas que estavam no local. Ninguém ficou ferido.

No centro do Tocantins, na capital ainda neste mês de janeiro, uma pessoa morreu a outra ficou ferida durante uma fuga na região sul da Capital. Quatro homens foram flagrados assaltando pedestres na quadra 504 Sul.

Ainda de acordo com a PM, após o flagrante, os quatro assaltantes, que estavam em duas motocicletas, tentaram fugir. Durante a perseguição dois foram baleados e socorridos logo após o acontecido, mas um deles não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

População

Para o presidente da quadra 508 Norte, Mário Rodrigues da Silva, os crimes são até levados para as delegacias, porém as investigações são muito lentas e precárias, e parte disso acontece pela falta de policiais civis no quadro administrativo da Segurança Pública estadual. Na opinião do líder comunitário, essa morosidade por parte da polícia deixa a população insegura.

“Eu sou exemplo disso. Em 2012 a minha casa foi assaltada e o caso foi levado para a delegacia, porém até hoje, e olha que já estamos em 2017, nunca tive uma resposta sobre essa investigação. E quando a gente não tem um resultado fica difícil correr atrás e descobrir quem é o autor do crime. A impunidade pode suscitar ainda mais a criminalidade, resultando em mais roubos em residências”, completou Mário.

Enquanto isso, os aprovados no Concurso da Polícia Civil, realizado no mês de junho de 2014, ainda aguardam a nomeação para começar a trabalhar em prol do Tocantins. Mais de 500 pessoas esperam assumir as vagas para os cargos de delegados, agentes, escrivães, papiloscopista, agente de necrotomia, médico legista e perito criminal. O processo seletivo previa o preenchimento imediato de 397 cargos e o restante para cadastro reserva.

LOA

Passivo à situação, do outro lado está o governo estadual, que mesmo com os sucessivos casos de violência registrados no Estado ainda não estabeleceu um prazo para convocar os aprovados.

Sem apresentar nenhum plano de segurança para o Tocantins, a administração ainda previu na Lei Orçamentária Anual (LOA) deste ano um aumento de 13,16% nos valores do que será destinado à Secretária da Segurança Pública (SSP).

De acordo com a Lei aprovada pela Assembleia Legislativa (AL-TO) deverão ser alocados R$379.212.613,00 em recursos para a SSP em 2017, o que representa um aumento de R$44.101.298 em relação ao ano passado (R$335.111.315).

Mesmo com mais dinheiro para a pasta os candidatos continuam esperando a nomeação no concurso e a população continua vulnerável à mercê da violência.

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.