Divulgação

O trabalho de busca constante por fraudes em ligações de água feito pela Odebrecht Ambiental | Saneatins resultou em um flagrante de furto de água em um restaurante de Palmas. Após o trabalho da concessionária que identificou uma ligação clandestina nos fundos do estabelecimento comercial localizado na Quadra 210 Sul, a Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada na Repressão aos Crimes Praticados contra Concessionárias Prestadoras de Serviços Públicos – Água e Energia (Derfae) realizou prisão em flagrante dos donos do restaurante.

Para Rodrigo Lacerda, gerente operacional da Odebrecht Ambiental | Saneatins, casos como esses são frequentes e causam enorme prejuízo. “As fraudes trazem um dano muito grande. São pessoas que, como neste caso, não arcam com as despesas para o uso da água e prejudicam toda a sociedade. Apenas no ano passado nossas equipes calcularam um furto de 2 bilhões de litros de água apenas na Capital”, afirma.

Presente na ação, o delegado da Derfae, Elírio Putton Júnior, após a verificação da fraude realizou a condução dos suspeitos para a delegacia. Falando sobre as ocorrências de fraude,  o delegado foi enfático. “Se a pessoa tem um desvio e está recebendo água em sua residência sem o devido pagamento ela está cometendo crime, vai ser atuada em flagrante”, explicou ele que complementou “dar visibilidade a casos como esse, de um estabelecimento comercial sendo autuado, ajuda a prevenir as pessoas sobre o assunto”.

Números

A prática de furtar água é crime e traz consequências para toda a sociedade. Os números consolidados de 2016 desta prática mostram que os sistemas de abastecimento de diversas cidades no Tocantins são cotidianamente prejudicados por fraudadores. O resultado é que somente nas 47 cidades operadas pela Odebrecht Ambiental | Saneatins o rombo causado chega a R$ 33 milhões.

Palmas encabeça a lista de cidades onde o furto de água causa mais danos. Na Capital, são mais de 2 bilhões de litros de água furtados em um ano, prejuízo que chega à casa de R$ 12,4 milhões.   Araguaína (R$ 5,3 milhões), Porto Nacional (R$ 2,9 milhões), Gurupi (R$ 2,4 milhões) e Paraíso do Tocantins (R$ 2,02 milhões) completam a lista das cinco cidades do Tocantins no ranking do furto de água.

Em levantamento prévio, com dados de 2016, a Odebrecht Ambiental | Saneatins, companhia responsável pelo serviço de abastecimento de água tratada e coleta e tratamento de esgoto encontrou, por meio da equipe “Caça-Fraude”, um total de 4.923 fraudes em unidades de consumo de água. As irregularidades vão desde a adulteração do hidrômetro até a utilização de engenharia, com encanamentos que desviam a água.

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.