O presidente do SISEPE-TO, Cleiton Pinheiro, acompanhado dos membros da Diretoria do Sindicato, Milton Rocha, Ivan Júnior e Rorilândio Nunes estiveram, na manhã desta quinta-feira, 14 de janeiro, em reunião com o superintendente do Banco do Brasil, Edvaldo Sebastião Souza. O objetivo da reunião foi tratar da reivindicação dos servidores que fizeram o adiantamento do 13º salário no ano passado e tiveram o salário do mês de janeiro retido pelo banco.

O Sindicato havia encaminhado ofício no último dia 13 solicitando o estorno dos valores a todos os servidores públicos que sofreram esse desconto (Veja reportagem aqui). “Fizemos essa solicitação em virtude das reclamações que tivemos e tendo em vista que o salário de janeiro já é comprometido com as despesas mensais dos servidores”, argumentou o presidente Cleiton Pinheiro.

Segundo o superintendente do Banco do Brasil, o servidor público que quiser estornar o valor descontado do salário deste mês, deverá procurar a sua agência e solicitar o estorno no atendimento dentro da agência. “Será possível estornar até 70% do valor. Aqueles que quiserem estornar 100% do valor, poderão também. Mas, ficarão sujeitos a encargos e juros maiores por causa da inadimplência”, explicou Edvaldo.

É importante também ressaltar que no momento em que o servidor receber o estorno do dinheiro, deverá sacar imediatamente e não deixar na conta. “Se ele deixar na conta, o Banco vai reter novamente, uma vez que o Banco debita os valores das pendências financeiras”, esclareceu o superintendente.

PAGAMENTO

Aos servidores que estornarem o valor, o pagamento ao Banco do Brasil acontecerá no momento em que o Governo do Estado depositar o 13º salário. Para mais informações, procure sua agência do Banco do Brasil.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.